Quarta-feira, 22 de Maio de 2019
JUSTIÇA

Acusados de matar líder comunitária são condenados a 19 e 20 anos de prisão

Dona Dora, como era conhecida, foi encontrada morta em agosto de 2015,no KM 52 da Rodovia AM 070, que liga Manaus a Iranduba. A líder foi sequestrada e torturada



euzivaldo_2.jpg
Adson Dias da Silva e Ronaldo de Paula da Silva foram condenados (Foto: Euzivaldo Queiros)
25/03/2017 às 09:15

Os acusados de matar a líder comunitária Maria das Dores Priante foram julgados e condenados na madrugada deste sábado (25). O julgamento iniciou na tarde de sexta-feira  (24). 

Adson Dias da Silva e Ronaldo de Paula da Silva foram condenados pelo júri popular a 20 e 19 anos de prisão, respectivamente. 

A defesa dos acusados vai recorrer da decisão e pedir um novo julgamento. "A pena leva em conta todas as qualificações, mas a defesa vai recorrer", disse o defensor público Isael Gonçalves. 

Dona Dora, como era conhecida, foi encontrada morta em agosto de 2015, no KM 52 da Rodovia AM 070, que liga Manaus a Iranduba. A líder foi sequestrada e torturada.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.