Publicidade
Cotidiano
Notícias

Adolescente que matou quatro pessoas ao pilotar lancha sem permissão chega a Manaus

Grupo Fera realizou o translado do infrator, que foi preso no último domingo (30). Cerca de 70 pessoas tentaram invadir a delegacia para matá-lo, ainda em Tapauá. A canoa que foi "atropelada" transportava 13 membros de uma família e duas crianças estão entre as vítimas fatais 02/12/2014 às 17:00
Show 1
O adolescente de 17 anos foi detido num flutuante no rio Ipixuna, pouco depois do acidente. Ele segue na DEAAI
acritica.com Manaus (AM)

Integrantes do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), da Polícia Civil do Amazonas, realizaram na manhã desta terça-feira (2) uma ação no município de Tapauá (distante 449 km em linha reta de Manaus), com objetivo trazer à capital um adolescente de 17 anos, apontado como piloto da lancha que colidiu com uma canoa e ocasionou a morte de quatro pessoas na tarde do último domingo (30).

A escolta foi sob a coordenação do Delegado Juan Valério, De acordo com o titular da 64ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), Delegado Osman Nasser, o acidente ocorreu por volta das 17h em frente à cidade, no Rio Ipixuna. Ele ressaltou que na lancha haviam aproximadamente dez pessoas, que estariam ingerindo bebidas alcoólicas, e o adolescente é quem pilotava a embarcação. A canoa era ocupada por 13 ocupantes, a maioria mulheres e crianças.

Nasser informou que, com o choque das embarcações, vieram à óbito Francineia Silva da Silva, 22; Valquiria Ferreira de Souza, 29; e os dois filhos, Gustavo Ferreira de Souza, e Igor de Souza Pinheiro, de 7 e 3 anos, respectivamente. Uma outra criança de cinco anos foi socorrida e levada para o hospital da cidade em estado grave. Na manhã desta segunda-feira (1º), ela foi transferida para Hospital e Pronto Socorro Infantil da Zona Leste da capital, o “Joãozinho”.

O adolescente foi apreendido ainda no domingo, por volta das 19h, em um flutuante na orla da cidade. Logo após ser detido, aproximadamente 70 pessoas, incluindo parentes das vítimas, se aglomeraram em frente à delegacia com o intuito de invadir a unidade policial e matar o adolescente.

Vítimas eram familiares

Conforme o delegado, as pessoas que estavam na canoa pertenciam à mesma família e estavam vindo da comunidade Lago do Redondo. Ele informou, ainda, os procedimentos que serão tomados a partir de agora: “Iremos dar seguimento às investigações, com as oitivas de todas as pessoas envolvidas no acidente e testemunhas do fato. Também vamos ouvir o proprietário da embarcação para saber se realmente o adolescente pegou a lancha sem autorização”.

A autoridade policial destacou que já está de posse dos laudos necroscópicos das vítimas fatais e os exames de corpo de delito das vítimas lesionadas. “Com esses laudos em mãos, pretendo finalizar as investigações em torno desse caso e em uma semana remeter ao cartório e promotor da comarca, para os procedimentos legais cabíveis”, frisou Nasser.

Em Manaus, o adolescente foi conduzido à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI), onde serão realizados os trâmites legais.

*Com informações da assessoria de imprensa da PC

Publicidade
Publicidade