Publicidade
Cotidiano
Notícias

Aécio diz que Lula tem papel "inexpressivo" na campanha e apequena biografia com ataques

O candidato tucano rebateu as declarações do ex-presidente ao comparar os ataques do PSDB à Dilma com os realizados pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial e destacou: "Só quem perde com isso é ele" 22/10/2014 às 19:56
Show 1
Candidato em campanha em São Paulo
Eduardo Simões (Reuters) ---

(Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, avaliou como "inexpressivo" o papel do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha eleitoral e disse que ele "apequena sua biografia" com os ataques que tem disparado.

Em comício no Recife na terça-feira (22), Lula disse que os tucanos têm feito ataques à petista Dilma Rousseff, candidata à reeleição, parecidos com os realizados pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial e afirmou que eles são intolerantes como Herodes, que tentou matar Jesus Cristo quando ele era um recém-nascido.

"O Lula não está disputando a eleição, apenas ignoro. Eu lamento apenas que um ex-presidente da República se permita cumprir um papel tão inexpressivo como esse que ele vem cumprindo no final dessa campanha eleitoral. É triste para a sua própria biografia", disse Aécio a jornalistas em Belo Horizonte.

"Só quem perde com isso é ele. Ele apequena a sua biografia com ataques torpes e absurdos como esse."

Aécio voltou a criticar o que chamou de "mentiras" da campanha da adversária, e voltou a afirmar que, se eleito, manterá e ampliará o Bolsa Família e que não vai privatizar empresas estatais, como a Petrobras, ou os bancos públicos.

"É hora de reiterarmos alguns compromissos. Eu os reitero aqui na minha terra com imensa alegria. O primeiro deles é o compromisso de garantir a continuidade dos programas sociais em andamento, em especial do Bolsa Família", disse.

"Em segundo, o compromisso com os bancos públicos, com o seu fortalecimento, com sua profissionalização e com a valorização dos servidores de carreira. Falo isso em especial aos funcionários e aos servidores da Caixa, do Banco do Brasil, do BNDES, como também de outras empresas públicas, como os Correios, como a Petrobras e a Eletrobras."

O tucano também reiterou a promessa de encontrar uma alternativa para substituir o Fator Previdenciário e com a manutenção da política de valorização do salário mínimo.

Aécio afirmou também que concentrará os últimos dias da campanha antes do segundo turno no Rio de Janeiro e em Minas Gerais.  

"Eu vou para o Rio de Janeiro porque teremos o debate da sexta-feira (24)(, volto no sábado, e eu quero encerrar essa minha campanha num ato muito menos político e muito mais pessoal. Eu vou a São João Del Rei novamente e de São João Del Rei agradecer a todos os brasileiros por essa caminhada e no domingo estarei aqui em Belo Horizonte como sempre votando e aguardando a decisão."



Publicidade
Publicidade