Publicidade
Cotidiano
AERONÁUTICA

Aeronáutica não tem prazo para encerrar investigações sobre quedas de aviões no AM

A Força Aérea continua a investigar as causas dos dois acidentes aéreos ocorridos em Manaus e Tabatinga em dezembro 17/01/2017 às 16:40 - Atualizado em 17/01/2017 às 16:42
Show 1171866
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
Vinicius Leal Manaus (AM)

A Força Aérea Brasileira continua a investigar as causas dos dois acidentes aéreos ocorridos durante o mês de dezembro no Amazonas, o primeiro em Manaus no dia 7 de dezembro, e o segundo em Tabatinga no dia 23 de dezembro. Segundo o Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VII), ainda não há prazo para encerrar as investigações.

“Não é possível prever um prazo para o término das investigações, o que varia de acordo com a complexidade do acidente”, informou por meio de nota o Seripa VII. “É importante esclarecer que a investigação tem o objetivo de prevenir acidentes e não apontar culpados. As investigações das duas ocorrências aeronáuticas estão em andamento”, declarou o Seripa.

O primeiro acidente, no dia 7 de dezembro em Manaus, vitimou seis pessoas, entre eles uma menina de 4 anos. A aeronave de pequeno porte modelo Embraer 720, de matrícula PT-REI, caiu por volta das 8h em uma área verde do bairro Parque Dez, na Zona Centro-Sul da cidade. O avião decolou às 7h45 do Aeroclube de Manaus com destino a Novo Aripuanã, e caiu de uma altura considerável até explodir contra o chão.

O outro acidente aéreo ocorreu no dia 23 de dezembro em Tabatinga, com três vítimas fatais e um sobrevivente. O avião modelo BE-58, matrícula PT-ICU, decolou às 10h32 do município de Tefé e às 11h30 desapareceu dos radares, até cair a cerca de 13,5 quilômetros de distância da pista do aeródromo de Tabatinga, o destino final.

Publicidade
Publicidade