Publicidade
Cotidiano
Notícias

Afeam completa 16 anos com mais de R$ 1 bilhão em fomento no Estado do Amazonas

O foco é contribuir para interiorizar o desenvolvimento econômico e social do Amazonas, realizando operações de crédito direcionadas para os pequenos negócios 02/09/2015 às 16:55
Show 1
A Afeam comemora 16 anos, com a marca expressiva de 154 mil operações contratadas totalizando R$ 1,3 bilhão aplicado
acritica.com Manaus (AM)

Criada em setembro de 1999, a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) é uma instituição financeira não bancária, subordinada à fiscalização e à supervisão do Banco Central do Brasil, e tem como acionista controlador o Estado do Amazonas. “Temos orgulho de bater todos os recordes de distribuição de crédito para homens e mulheres no interior, ensinando a pescar e a vender o próprio peixe”, disse o diretor-presidente da Afeam, Evandor Geber.

A Afeam comemora 16 anos, com a marca expressiva de 154 mil operações contratadas totalizando R$ 1,3 bilhão aplicado, sendo a maior parte direcionada ao interior do Estado, com atendimento a todos os setores da economia, com destaque para os setores primário e terciário, que juntos representam 70% dos financiamentos concedidos.

O foco central é contribuir para interiorizar o desenvolvimento econômico e social do Amazonas, realizando operações de crédito direcionadas, prioritariamente, para os pequenos negócios.

A Afeam financia o cultivo de guaraná, mandioca, banana, açaí, e todos os negócios que possam melhorar o padrão de vida e a criação de novos empreendimentos.

Hoje, a Agência é referência de acertos, no estímulo de oportunidades e fomento ao empreendedorismo através de novos programas de crédito, como a criação do Programa de Microcrédito Afeam Banco do Povo, sob orientação do governador José Melo, que investiu em 2015 R$ 44 milhões para o benefício de 10 mil famílias e assegurou a geração e/ou manutenção de 27.900 postos de trabalho no Amazonas.

Segundo o diretor-presidente do órgão, novas parcerias estão sendo estabelecidas com o objetivo de criar ações positivas de combate ao desemprego e geração de novas matrizes econômicas.

A parceria com o BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento, que já tem garantias de fomento das cadeias rurais, busca o empreendedorismo nos demais setores da economia.

A ideia desta parceria remete ao incentivo de ações de desenvolvimento para criar saídas coerentes com as vocações de negócios do interior.

“Estamos conectados com as ações do governo José Melo para incentivar as matrizes de uma nova economia, com respeito ao homem em seu habitat e foi o conjunto dessas atividades não predatórias que atraíram a atenção do BID”, disse Evandor.

O projeto Prodesus será executado pela Afeam em articulação com a Seplancti (Secretaria de Planejamento, Ciência, Tecnologia e Inovação), o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas (Sebrae-AM) envolvendo recursos do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), no valor de US$ 70 milhões, e contrapartida de US$ 14 milhões do Governo do Amazonas, com destinação prioritária às cadeias produtivas do setor primário.

Os beneficiários do Prodesus são produtores rurais, cooperativas e associações, empreendedores individuais, micro e pequenas empresas integradas a cadeias produtivas prioritárias para o crescimento da economia estadual: açaí, abacaxi, banana, borracha, castanha, cacau, citrus, feijão de praia, fibras, guaraná, hortaliças, mamão, maracujá, pecuária de leite, pesca artesanal e piscicultura.

Produção Rural - Desde o início da nova gestão da Secretaria de Produção Rural, a Afeam procurou identificar as ações prioritárias para a produção de alimentos, o grande gargalo da economia regional que importa quase tudo que vai para a mesa das famílias.

“Com a Sepror, estamos definindo as prioridades da produção de alimentos, os produtores mais qualificados e os índices de retorno em termos de produtividade, qualidade, mercado e fortalecimento das associações e cooperativas de produtores. A Afeam sabe fomentar, a Sepror gerencia as políticas públicas adequadas, o Estado deixa de evadir riqueza e a população tem alimento de melhor qualidade e baixo custo”, diz Evandor, lembrando que a Afeam foi o primeiro parceiro do Plano Safra, com R$ 15 milhões de convênio para mecanização da agricultura. Na mesma lógica da produção de alimentos, a Afeam compareceu como financiadora do programa de pesca e beneficiamento do piracururu, com R$ 3 milhões para as comunidades das Reservas Extrativas – Resex. 

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade