Publicidade
Cotidiano
INVESTIMENTO

Afeam leva oportunidade de desenvolvimento à comunidades de Parintins

Mocambo, Caburi e Vila Amazônia começaram a receber nesta segunda-feira, o atendimento para financiamentos da linha de microcrédito 08/05/2017 às 17:00
Show afeam0555
(Foto: Hudson Braga/ Divulgação Afeam
acritica.com Manaus

Oportunidade de se desenvolver a quem consegue produzir, em muitos casos, apenas para a subsistência. É o que o Banco do Povo está levando às três principais comunidades rurais do município de Parintins: Mocambo, Caburi e Vila Amazônia, onde a Agência de Fomento do Estado do Amazonas S.A.(Afeam) inicia nesta segunda-feira, 8 de maio, o atendimento para financiamentos da linha de microcrédito. 

Desde quando a Afeam foi criada, em 1999, a Instituição já investiu R$ 35,9 milhões no município conhecido como a terra dos bumbás Garantido e Caprichoso. O valor foi aplicado por intermédio de 7.860 operações de crédito realizadas pela Instituição.

No último domingo, dia 7, técnicos da Agência de Fomento e dos parceiros na ação, Sebrae e Idam, reuniram centenas de produtores rurais, além de prestadores de serviços e comerciantes que vivem nessas comunidades às margens do Rio Amazonas. Nesse período do ano, muitos vilarejos e plantações são completamente inundados por conta do transbordamento dos rios, afluentes e lagos.

No Caburi, Mocambo e Vila Amazônia, mandioca, fruticultura e pecuária são algumas das culturas em desenvolvimento, cuja produção também atende Parintins. “Esta é a primeira vez que a Instituição destina um orçamento específico para cada localidade, de R$ 250 mil, com atendimento exclusivo na comunidade, além de R$ 650 mil para a cidade Parintins”, explica o diretor-presidente da Afeam, Alex Del Giglio.

No Mocambo, Lidermol Teixeira tem planos para ampliar a área cultivada, principalmente de mandioca. “Quero aumentar a produção, melhorar de vida e o financiamento da Afeam é uma grande oportunidade”. O mesmo pensamento tem Elizângela Figueira e seu marido, o pescador Jocinaldo Almeida. “Precisamos de uma canoa maior e de uma freezer, para fazer gelo e assim pescar mais”, explica ele.

Como explica Togo Meireles, coordenador de Atendimento da Afeam e da ação de lançamento do Banco do Povo no Mocambo, Caburi e Vila Amazônia, atender a agricultura familiar e os pequenos empreendedores, com crédito a juros subsidiados (3% ao ano), é o objetivo da Instituição. “Somos uma agência que tem uma função social muito grande, que leva esperança, desenvolvimento aos que mais necessitam”, destaca o coordenador.

Esperança
Em Caburi, o desejo em crescer não é diferente. Ana Cleide dos Santos esteve no lançamento do Banco do Povo na Escola Estadual que leva o nome da localidade. Ela tem quatro filhos e o seu sonho é poder aumentar a criação de galinha. “Estou aqui para saber como funciona o financiamento. Gostaria muito de conseguir cinco mil reais para aumentar a nossa criação de galinha, isso ia ajudar muito a melhorar a nossa vida”, afirma.

Na Vila Amazônia, a mandioca, a principal cultura explorada pelas famílias de agricultores locais, começa a ser mecanizada. Além do aumento da área plantada, Idam e o governo local acreditam que esse é o investimento a ser ampliado, destaca o secretário municipal de Produção, Edy Albuquerque. “Vamos aproveitar o investimento da Afeam para que no próximo ano esse recurso seja ainda maior”. 

Raimunda Machado sempre viveu da agricultura e apesar da idade, continua com muita vontade de continuar trabalhando na terra. “Hoje não tenho uma área, mas isso não é problema, posso trabalhar na propriedade de outra pessoa, o que eu quero é produzir”. A mesma determinação tem Nilcélia da Silva Pereira, que busca financiamento para sua família plantar mais mandioca. “Queremos aumentar a roça e também plantar mais banana, cupuaçu”.

 

Publicidade
Publicidade