Terça-feira, 16 de Julho de 2019
TURISMO

Agências têm até hoje para se credenciar para receber turistas chineses

O prazo para o credenciamento na chamada pública termina hoje (15). Apenas as agências habilitadas poderão recepcionar os viajantes do país asiático



45005gra1767014-aterro-do-flameto-rj-companhia-de-turismo.jpg

Agências de turismo e viagens do Brasil que têm interesse em trabalhar com turistas chineses devem se habilitar junto ao Ministério do Turismo.

O prazo para o credenciamento na chamada pública termina hoje (15). Apenas as agências habilitadas poderão recepcionar os viajantes do país asiático.

Para ser selecionada, a agência deve realizar a inscrição no ADS CHINA, no portal do Ministério do Turismo. Para isso, a agência deve estar regularizada no Cadastur,, sistema de cadastros de pessoas físicas e jurídicas do Ministério do Turismo.

A pasta alerta que só aceitará inscrições feitas via link próprio para cadastramento de empresas do tipo "agências de turismo" em situação regular. O resultado da seleção deve ser divulgado no dia 22 de dezembro, no Diário Oficial da União e no site www.turismo.gov.br.

O credenciamento das agências faz parte de um acordo entre os governos do Brasil e da China. Segundo o Ministério do Turismo, só no ano passado, 130 milhões de chineses viajaram pelo mundo. Desses, apenas 50 mil escolheram o Brasil como destino. O acordo deve aumentar o fluxo de turistas entre os dois países.

A meta brasileira prevista no Plano Brasil + Turismo é de atrair 12 milhões de visitantes vindos do exterior até 2022. No ano passado, o Brasil recebeu 6,6 milhões de visitantes estrangeiros. De acordo com o Ministério do Turismo, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 levaram ao número recorde de turistas em 2016, marca 4,3% maior que 2015.

 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.