Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020
SAÚDE

Agosto Dourado: A importância do papel do pai na amamentação

Para uma mãe amamentar é preciso mais do que leite no peito, é preciso incentivo, apoio, proteção e o envolvimento da família, o que inclui a figura paterna



38d73cb0-4723-4a21-b1c7-f26f218d9721_54F57589-0809-4230-8901-0C754AB55F5E.jpg Foto: Rodrigo Santos/Secom
09/08/2020 às 14:57

A participação do pai é fundamental também durante o processo de amamentação. Neste Agosto Dourado, campanha que incentiva o aleitamento materno, a Coordenação da Saúde da Criança da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) listou uma série de atitudes de incentivo à amamentação que podem ser tomadas pelo pai.

Para uma mãe amamentar é preciso mais do que leite no peito, é preciso incentivo, apoio, proteção e o envolvimento da família, o que inclui a figura paterna. É o que explica a coordenadora de saúde da Criança da Susam, Rhamily Amud. 



“É um trabalho tipo cultural. Quando a gente fala do pai apoiar a mãe, a gente percebe que eles acham que eles não podem ajudar em nada e nós como profissionais da saúde, a gente tem que orientar essa família, esse pai em como ele pode ajudar, que apoio ele pode dar”, disse. 

Entre as atitudes que devem ser tomadas pelos pais para apoiar a mãe no aleitamento, a coordenadora do Banco de Leite Humano da Maternidade Ana Braga, Elisabeth Hardman, cita a efetiva participação no pré-natal. 

“É feito o pré-natal com a mãe e com o parceiro. Então, quando ele chega na maternidade tem uma noção de como é, como funciona, do que vai acontecer. Ele já entra na sala de cirurgia, na hora do parto ele participa, ele vê o bebê dele nascendo, coloca o bebê no peito para mamar, faz a massagem na mama da mulher quando ela está com dificuldade, faz a massagem nas costas para ela relaxar”, exemplificou. 

Exemplos - Pai pela segunda vez, Eloízio de Sousa, 37, relembra a primeira gestação da esposa em que a filha nasceu prematura. 

“Minha filha foi para a incubadora e eu tive que estar com ela e com a minha filha, aí eu tirava o leite, ordenhava o leite e levava num vasinho lá embaixo, dava numa seringa pra minha filha, trocava a fralda dela e ia com a mãe de novo. De 40 em 40 minutos ela tinha que se alimentar de novo”, relembrou Eloízio que se tornou pai pela segunda vez no último dia 17 de julho.

Para a coordenadora do Banco de Leite Humano (BLH) do Ana Braga, a integração da família significa o fortalecimento do vínculo afetivo. “A gente vê aquele apoio, aquele estímulo, aquele amor, com aquela criança. Inclusive, até na hora do bebê mamar, do bebê sugar, ele colocando o bebê no peito, quando vai para casa ele traz o leitinho na caixinha isotérmica para o banco de leite é lindo demais. Fortalecimento dos laços afetivos que é extremamente importante” finalizou.

Agosto Dourado - O nome foi escolhido porque a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o leite materno como o "alimento de ouro" para a saúde dos bebês. São dias de intensas atividades que buscam promover o aleitamento exclusivo até o sexto mês de vida, se estendendo até os dois anos ou mais.

Para a mulher, também há benefícios, como a redução das chances de câncer de mama e ovário, prevenção de anemia, aumento da segurança acerca da maternidade.

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.