Domingo, 16 de Maio de 2021
Decisão

AGU reverte decisão que suspendia ordem de reintegração de posse em favor do Ifam em Tabatinga

Após atuação de órgãos da AGU, TRF-1ª Região volta atrás e restabelece liminar concedida ao Instituto pela Justiça Federal em Tabatinga



share_big_invas_o_4904C797-066D-4C14-B2C0-02755296070A.jpg Foto: Reprodução
17/03/2021 às 19:37

Em atuação conjunta, a Procuradoria Federal no Estado do Amazonas e a Equipe Regional de Atuação Prioritária em Matéria Administrativa da Procuradoria-Regional Federal da 1ª Região, obtiveram decisão favorável ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam) nos autos do agravo de instrumento nº 1025762-35.2020.4.01.0000 que tramita no Tribunal Regional da 1ª Região, em Brasília. 
 
O caso 
 
Em Junho/2020 um grupo de pessoas invadiu a porção leste do terreno do campus do IFAM em Tabatinga, promovendo queimadas e desmatamento, para estabelecer à força uma ocupação irregular. 
 
Diante disso, o IFAM acionou a Procuradoria Federal no Estado do Amazonas, que rapidamente ajuizou perante a Justiça Federal em Tabatinga a ação de reintegração de posse nº 1000622-96.2020.4.01.3201, obtendo em Julho/2020 o deferimento de medida liminar em favor do Instituto. 
 
A decisão determinava que “nenhum dos circunstantes sequer tente invadir que resta de área do IFAM e para que os que já tenham invadido ou feito alguma intervenção material no local, a desfaçam e cessem qualquer ato de desrespeito à posse do IFAM.” 
 
Contudo, intitulando-se Comunidade Monte Carmelo, os invasores recorreram através do agravo de instrumento nº 1025762-35.2020.4.01.0000, e em Agosto/2020, em decisão monocrática, o TRF-1ª Região houve por bem suspender a decisão de 1º grau, até o pronunciamento definitivo da Turma responsável pelo julgamento colegiado do recurso.  
 
Entretanto, o Tribunal proibiu o avanço da invasão, registrando que “a decisão proferida nestes autos, não autoriza que os agravantes invadam qualquer área. A decisão limita-se a suspender a desocupação de áreas ocupadas previamente tão somente até ulterior deliberação judicial.” 
 
Ocorre que os invasores ignoraram a decisão do Tribunal, e continuaram com as atividades de queimada e desmate, expandido cada vez mais a ocupação irregular, chegando a comprometer 40% do imóvel do IFAM, conforme fotos em anexo, mostrando o começo da invasão em Julho/2020 e a situação em Fevereiro/2021. 
 
Segundo o Instituto, toda essa degradação causou enormes prejuízos, porque as áreas eram utilizadas em práticas agro-pesqueiras, com aulas de campo aos discentes. 
 
Nesse cenário, os órgãos da Advocacia-Geral da União apresentaram sucessivos pedidos de reconsideração e recurso de agravo interno, até que em Março/2021 o TRF-1ª Região voltou atrás e deferiu o pleito da AGU, restabelecendo a decisão da Justiça Federal em Tabatinga, que inclusive já expediu os Mandados às forças policiais para execução das medidas de reintegração de posse. 
 
Agora o Instituto planeja a remoção dos invasores, juntamente com as forças de segurança presentes naquele município. 
 
Nas palavras do Procurador-chefe da PF-AM, Daniel Ibiapina Alves, “a vitória não é apenas da AGU ou do IFAM, mas também do meio ambiente, que poderá ser recuperado com ações acadêmico-pedagógicas conduzidas pelos próprios alunos, e principalmente da juventude de Tabatinga, que tem no Instituto uma das poucas esperanças de ascensão social, através da educação estatal, gratuita.”



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.