Publicidade
Cotidiano
Notícias

ALE-AM exigirá mais rigor na fiscalização das barragens existentes no estado

Em audiência pública, deputados discutiram a situação das barragens de Presidente Figueiredo e pediram mais fiscalizações  27/11/2015 às 09:28
Show 1
Ana Aleixo, do Ipaam, ressaltou que barragens daqui são diferentes das de Mariana
marcela moraes ---

Os deputados estaduais pediram, ontem, durante uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), mais rigor na fiscalização das barragens existentes na mina do Pitinga, da Mineração Taboca, no Município de Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus) e levantaram a necessidade de uma comissão da Casa fazer uma visita in loco na área, que tem dez barragens consideradas inseguras, conforme relatório de 2014 do Departamento Nacional de Pesquisas Minerais (DNPM).

A diretora do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Ana Aleixo, ressaltou durante a audiência que as barragens do Amazonas são diferentes das barragens existentes em Mariana e, por isso, um desastre como o que ocorreu no município de Minas Gerais, não ocorreria aqui. “Risco para o meio ambiente sempre vai existir em qualquer atividade econômica que vá intervir na natureza. O que a lei determina é que esse risco seja o menor possível”, esclareceu.

Não existe nenhum risco de desmoronamento das barragens de Presidente Figueiredo, explica o geólogo do DNPM, Fred Cruz. “Caso a barragem de Pitinga se rompesse, não aconteceria praticamente nada. Se rompesse o Pitinguinha, ele correria para o rio Uatumã e o próprio volume d’agua do “Pitinga” seria engolido pelo tamanho do Lago do Uatumã. Se corresse para o lado do rio Alalaú afetaria as áreas das comunidades indígenas, mas não necessariamente a moradia indígena, porque essas moradias estão longe dali” disse.

De acordo com o presidente da ALE-AM, Josué Neto (PSD), a partir dos esclarecimentos expostos, a Assembleia Legislativa entra oficialmente neste debate. “Queremos irmanar às instituições que tratam desse tema para que nós possamos não só debater, mas também promover uma ida ao Pitinga para que possamos conversar com os técnicos e tirar todas as nossas dúvidas e ter a garantia que vidas serão poupadas, não só dos trabalhadores que lá moram, mas também de toda a comunidade, toda a população próxima,” disse.

O deputado Luiz Castro (Rede), sugeriu que o Governo do Amazonas tome medidas quanto as fiscalizações do DNPM, para que o órgão faça um laudo pericial de todas as barragens para verificar se há riscos e recomendar as medidas corretivas.

Esclarecimento

O deputado Dermilson Chagas (PDT) lembrou que ocorreram incidentes e destacou que é preciso investir em mão de obra qualificada para evitar uma situação pior. Para ele tudo deve ser analisado para que haja um esclarecimento dos fatos.


Publicidade
Publicidade