Publicidade
Cotidiano
Notícias

ALE-AM recebe representantes de movimento, mas não define mudanças

Legislativo estadual não definiu o que fará para atender clamores das ruas. O que tem planejado é intermediar encontros 28/06/2013 às 09:06
Show 1
Presidente da ALE-AM, Josué Neto (à direita), com representantes do MMB
kleiton renzo ---

Após duas semanas em silêncio e pressionado na quarta-feira pela manifestação promovida pelo movimento Manaus na Mudança do Brasil (MMB), o presidente da Assembleia Legislativa (ALE-AM), Josué Neto (PSD), recebeu nesta quinta-feira (27) os representantes da coordenação do MMB e se comprometeu a mediar uma reunião entre o MMB e secretários do Governo do Estado, deputados federais, vereadores e secretários municipais, membros do Judiciário, o prefeito de Manaus Artur Neto (PSDB) e o governador Omar Aziz (PSD). Josué Neto não apresentou nem comentou sobre uma agenda propositiva da ALE-AM.

A reunião com os diversos atores políticos amazonenses será marcada após audiência pública, na terça-feira, onde os deputados e o MMB discutirão com o diretor-presidente da Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, como funciona a planilha de custos que define o valor da tarifa do transporte público.

Na tarde da terça-feira haverá ainda uma oficina em conjunto entre as comissões de Serviços Públicos e Transporte Público, da ALE-AM, para ensinar aos interessados como manusear a planilha de custos usada pelo SMTU.

Desde que a onda de manifestação tomou conta de Manaus o presidente do Poder Legislativo  estadual não demonstrou intenção de chamar as várias correntes de manifestações para liderar uma ação de entendimento e de posicionamento da ALE-AM quanto aos clamores populares.

Questionado pela reportagem se a ALE-AM esteve de costas para às reclamações populares nesse meio tempo, o presidente Josué Neto se defendeu alegando receio. “A Casa sempre esteve de portas abertas para todos esses movimentos. Nós acompanhamos em alguns momentos acontecimentos de depredações e ficamos assustados com relação a isso. Mas entendemos que esse grupo que está aqui (o MMB) quer o bem da sociedade e, portanto, não há motivo para que a Assembleia negue recebê-los e dar voz”, disse o deputado Josué Neto.

Manifesto

Ao presidente da ALE-AM os coordenadores do MMB informaram que um manifesto está sendo redigido como resultado do ato realizado ontem em frente ao parlamento, na quarta-feira. No documento serão apresentadas cinco demandas prioritárias para discussão com “as autoridades”.

“Fizemos uma consulta popular pela nossa página do Facebook e de 30 problemas elegemos cinco para o ato de ontem: o transporte público, em relação à tarifa e à qualidade; melhoria no sistema de saúde da capital e do interior; encarceramento dos mensaleiros; melhoria na educação e no salário dos professores e a luta contra a PEC-33”, informou Gustavo Jinkings, um dos coordenadores do MMB.

Segundo Fábio Amorim, advogado do MMB, uma nova manifestação está marcada para o dia 11 de julho. O tema preliminar deve seguir orientação nacional pela saída do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.

Publicidade
Publicidade