Publicidade
Cotidiano
Notícias

Alta da Taxa Selic tem efeito negativo no comércio e indústria do Amazonas

Nova taxa de 11,75% deve encarecer custos da indústria e aumentar os preços no comércio de Manaus 05/12/2014 às 09:36
Show 1
A nova taxa deve aumentar os preços no comércio já neste mês. As compras a prazo também ficam mais caras
juliana geraldo ---

Mesmo aguardado, o aumento da Taxa Básica de Juros (Selic) de 11,25% para 11,75%, na última quarta-feira, 03, não agradou representantes de segmentos da economia no Brasil.

Assim como no resto do País, em Manaus, o aumento da taxa - que visa inibir o consumo para promover o controle da inflação - foi criticada por especialistas por ser considerada ineficaz em seu objetivo e desacelerar ainda mais o movimento do comércio e da indústria na capital amazonense.

O economista e consultor empresarial, Matinho Azevedo, questionou a medida. Segundo ele, o artifício de aumento de juros tem sido utilizado há alguns anos, sem obter o resultado esperado - o combate inflacionário. “É preciso fazer uma revisão na política econômica como um todo. Não bastam mudanças somente no campo monetário. O governo precisa realizar e ajustes fiscais e cambiais e divulgar essas estratégias, mostrando onde serão cortados os gastos”, avaliou o economista.

Efeitos

Enquanto as alterações nas políticas fiscal e cambial não chegam, os segmentos da economia sentem os impactos.

Em Manaus, o reajuste pode afetar os preços nas prateleiras ainda neste mês. O alerta foi feito pelo economista Ailson Rezende, que presta consultoria para empresários do Polo Industrial de Manaus (PIM).

De acordo com ele, com o novo aumento da taxa, os financiamentos para garantir a produção industrial ficarão mais caros e os preços serão repassados para o comércio. “Como a indústria trabalha com estoque, o reflexo no preço de alguns produtos como os televisores só deve ser sentido em janeiro, quando os novos componentes forem adquiridos com preços mais altos”, esclareceu.

Entretanto, explicou ele, produtos como os smartphones, que precisam de componentes novos a todo momento, já devem chegar às lojas por um valor maior ainda em dezembro.

No comércio não será diferente. “ Quem optar por fazer as compras de Natal no cartão de crédito deve ficar atento. A partir de hoje (ontem), a tabela usada pelos lojistas já considera a nova taxa, deixando a fatura mais onerosa no final do mês”, avisou.

Série histórica

A taxa Selic não fica em um patamar tão elevado desde 2011, quando o índice chegou a 12% ao ano, em agosto. Duas novas alterações são aguardadas. Uma em janeiro (+0,5%) e outra em março, com aumento de 0,25 ponto percentual, elevando a taxa para 12,5% em 2015.

Publicidade
Publicidade