Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020
TECNOLOGIA PARA O BEM

Aluno cria App para ajudar instituições de caridade em Manaus

Alexandre Nepomuceno, 12 anos, da Manáos Tech, criou o aplicativo (APP) "Juntos Somos Mais", que facilita o processo de doações e de pedidos de ajuda para as entidades filantrópicas afetadas pela pandemia



7873a49d-f0dd-482e-a6a7-a4a22296d2a9_EF17632D-87C9-4735-88FE-01A81F79AE9C.jpg Foto: Divulgação
05/08/2020 às 08:56

Criar um aplicativo para ajudar as instituições de caridade de Manaus que levam auxílio para pessoas em vulnerabilidade social durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19). Essa foi a ideia de Alexandre Nepomuceno, 12 anos, ao criar o aplicativo (APP) "Juntos Somos Mais". O APP está disponível na loja virtual Play Store somente para a versão Android.

O download é totalmente gratuito e as instituições e entidades filantrópicas que tiverem interesse, podem se cadastrar no aplicativo. 



O pequeno inventor é aluno da escola de educação tecnológica Manáos Tech for Kids e contou com a ajuda do professor Eduardo Lira, para desenvolver a ferramenta digital. A ideia de Alexandre fez parte de uma maratona interna promovida pela escola durante o distanciamento social e foi realizada totalmente de forma remota (via internet) entre os alunos do nível Jedi (12 à 16 anos). 

“Eu gosto muito de criar aplicativos e robôs. Daí pensei de que forma poderia ajudar no momento de pandemia. Tive várias ideias, mas achei essa a mais viável para ajudar as instituições e saber do que elas estavam precisando”, explicou o garoto ao revelar que pretende ser químico quando crescer e ajudar a desenvolver medicamentos para o tratamento de doenças.

Alexandre Nepomuceno cursa o 7º ano do Ensino Fundamental da escola regular e estuda na Manaós Tech há pouco mais de uma ano. O pequeno inventor conta que a inspiração para criar o aplicativo foi pensando justamente nas pessoas que tem uma renda mais elevada e que podem ajudar outras mais necessitadas.

A gincana da escola recebeu o nome de “1ª Maratona contra a Convid-19”. Várias propostas foram apresentadas pelos alunos e, de todas as avaliadas, a de Alexandre foi a que mais teve destaque, segundo destaca Eduardo Lira, professor responsável pela competição.

“O nosso diretor, Glauco Aguiar, sugeriu que fizéssemos uma maratona com os alunos onde eles teriam a possibilidade de usar a criatividade e unir com aquilo que aprenderam em sala de aula para desenvolver uma ideia. Então, fizemos a seleção e a proposta do Alexandre foi a escolhida. Ele sugeriu um aplicativo para ajudar, de uma forma bem simples, as instituições filantrópicas”, revela Eduardo.

Como funciona?

Na tela de entrada, o usuário visualiza quatro etapas:

1 – Quero ajuda: onde as instituições filantrópicas se cadastram e informam do que estão necessitando;

2 – Quero ajudar: explica como as pessoas interessadas podem fazer as doações;

3 – Quero colaborar: para quem não pode fazer doação em dinheiro, mas quer colaborar de alguma outra forma;

4 – Quem somos: apresenta breve resumo sobre a escola Manaós Tech e também sobre o aluno inventor.

Leitura

Para a mãe de Alexandre, Tainah Nepomuceno, o interesse pela leitura e a curiosidade por vários assuntos, ajudaram o filho a ter a ideia que o levou a criar a ferramenta. “Com quatro anos de idade ele se apaixonou por Química e dizia que queria ser químico. Mas, de uns tempos pra cá ele, ele tem pensado também em Medicina. Eu sempre o incentivei com cursos e atividades em grupos específicos ligados às universidades de Manaus, como Clubes da Ciência, entre outros que ele gosta muito de participar. Isso com certeza, despertou muitas ideias nele”, destaca Tainah.

O pequeno inventor é aluno da escola de educação tecnológica Manáos Tech for Kids e contou com a ajuda do professor Eduardo Lira, para desenvolver a ferramenta digital.

A ideia de Alexandre fez parte de uma maratona interna promovida pela escola durante o distanciamento social e foi realizada totalmente de forma remota (via internet) entre os alunos do nível Jedi (12 a 16 anos).

“Eu gosto muito de criar aplicativos e robôs. Daí pensei de que forma poderia ajudar no momento de pandemia. Tive várias ideias, mas achei essa a mais viável para ajudar as instituições e saber do que elas estavam precisando”, explicou o garoto ao revelar que pretende ser químico quando crescer e ajudar a desenvolver medicamentos para o tratamento de doenças.

Alexandre Nepomuceno cursa o 7º ano do Ensino Fundamental da escola regular e estuda na Manaós Tech há pouco mais de um ano.

O pequeno inventor conta que a inspiração para criar o aplicativo foi pensando justamente nas pessoas que tem uma renda mais elevada e que podem ajudar outras mais necessitadas. A gincana da escola recebeu o nome de “1ª Maratona contra a Convid-19”. Várias propostas foram apresentadas pelos alunos e, de todas as avaliadas, a de Alexandre foi a que mais teve destaque, segundo destaca Eduardo Lira, professor responsável pela competição.

O nosso diretor, Glauco Aguiar, sugeriu que fizéssemos uma maratona com os alunos onde eles teriam a possibilidade de usar a criatividade e unir com aquilo que aprenderam em sala de aula para desenvolver uma ideia.

Sistema de educação diferenciado

O CEO e diretor da Manaós Tech for Kids, Glauco Aguiar, enfatiza que na escola os alunos contam com uma metodologia de aprendizado totalmente diferenciada, onde as crianças desenvolvem habilidades como: raciocínio lógico, noções para resoluções de problemas e facilidade de trabalhar em equipe, além de contar com uso de ferramentas de tecnologia e inovação. “Nós aqui na Manaós Tech trabalhamos com o emprego da metodologia STEAM que é um tipo de ensino integrado, baseado em projetos que têm o objetivo de formar nossos alunos em diversas áreas do conhecimento, desenvolvendo valores, em conjunto a conteúdos que abordam desde Artes, Ciências, Tecnologia até o despertar da criatividade.

Nacer

Uma das instituições filantrópicas que estão cadastradas no APP “Juntos Somos Mais” é o Abrigo Nacer que cuida de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, em Manaus. O local conta hoje com 21 abrigados e, por conta das medidas restritivas causadas pela pandemia do novo coronavírus, teve suas doações drasticamente reduzidas, conforme informou o diretor da instituição, Cleslley Rodrigues que se diz emocionado com a criação do aplicativo feito pelo aluno da escola de robótica.

“O fato de ser uma criança desenvolvendo uma solução para pensar no bem de outras crianças me deixou muito emocionado. A gente percebe que ainda há esperança na humanidade quando vê o futuro, que são as crianças, terem esse tipo de atitude. Isso sem falar na parceria com a escola Manaós Tech que tem nos ajudado com bolsas de estudos para os nossos adolescentes, oportunizando assim, uma vida melhor para as nossas crianças”, ressalta Cleslley Rodrigues.

O Nacer precisa hoje de doações de itens como: fraldas infantis tamanho G e XG, leite em pó tipo Nino e leite Milnutri complete para bebês prematuros, polpa de frutas, gêneros alimentícios e material de limpeza. Segundo Cleslley, todos os projetos desenvolvidos pelo Nacer que conta com o apoio da comunidade foram interrompidos por conta da pandemia e as visitas ainda estão suspensas.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.