Publicidade
Cotidiano
Inauguração

Alvo de assaltos e roubos, Ponte Rio Negro ganha módulos fixos de fiscalização

Além de auxiliarem em fiscalizações e monitoramento 24h por dia, os módulos contarão com serviços de assistência à população em perícias de acidentes 28/11/2016 às 11:49 - Atualizado em 28/11/2016 às 20:04
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) inaugurou, nesta segunda-feira, dois módulos fixos de Fiscalização na ponte Rio Negro em um   contra-ataque  na “guerra” pela diminuição da violência no  trânsito de Manaus. Além de auxiliarem nas fiscalizações e monitoramento nas ruas e avenidas 24h por dia, inclusive com radares móveis e rádio, os módulos - instalados a partir de contêineres - contarão com serviços de assistência à população em perícias de acidentes, além de área administrativa, copa, banheiros e até para o descanso de policial militares do Batalhão de Trânsito (Batran), agentes e peritos do Detran.

Os novos módulos estão localizados nas duas entradas da ponte Rio Negro. “Nossa intenção é instalar um total de oito módulos desses na cidade. O próximo ficará localizado na avenida do Turismo dentro de 15 a 20 dias. E até fevereiro instalaremos todos eles”, informou o diretor-presidente do Detran, Leonel Feitoza. As ações, segundo ele, visam precaver para os casos de irregularidades no trânsito da capital amazonense, mas também solucionar os problemas de depredação, muitas reclamações de assaltos a transeuntes e roubos das lâmpadas de led que são constantes.

Os módulos foram construídos pela empresa Guimarães Fernandes Ltda, contratada mediante licitação pública e que é responsável pela instalação e manutenção da obra. O custo pelo contrato firmado por 3 anos é de R$ 4.896.000,00. 

Números alarmantes
Segundo números do Detran, de janeiro até outubro deste ano foram flagrados mais de 5 mil motoristas dirigindo sob efeito do álcool, números comparativamente maiores que o ano passado. Nesse mesmo período, neste ano foram multadas cerca de 14 mil pessoas que dirigiam falando ao celular, um dos grandes vilões do trânsito.

“Nosso objetivo com os módulos é que as pessoas tenham consciência, pois as leis de trânsito foram feitas para serem cumpridas. Não queremos multar ninguém, e sim que elas passem a se policiar, sabendo que nessas áreas estaremos com a nossa fiscalização rotineira. E que não depredem o patrimônio público que é a ponte”, disse Leonel Feitoza.

Motoristas como o pedreiro Luiz Carlos, 56, que passava pela ponte durante a inauguração dos módulos, se disseram favoráveis à iniciativas do tipo. “Foi muito boa a iniciativa. Sou de Macapá e lá eu vejo mais acidentes que aqui”, destaca ele.

Salvamento

A Ponte Rio Negro apresenta outras problemáticas curiosas. Uma delas são as tentativas de suicídio cometidas por pessoas que tentam se jogar do alto da estrutura. A última vez, felizmente sem sucesso, ocorreu em outubro com uma mulher, informa o major PM Carliomar Brandão, do Batalhão de Trânsito. “O policial militar impediu que ela se jogasse”, disse ele.

Blog
Carliomar Brandão
Comandante do Batalhão Trânsito do Amazonas

“A inauguração de um módulo fixo como esse na ponte Rio Negro representa muito, até para o conforto do policial militar para ele exercer a sua função de fiscalização. Vamos atuar com 4 PMs por turno de 12 horas, mais 4 agentes do Detran, além de 3 radares móveis. A iniciativa vai inibir os assaltos e a depredação que existem aqui em um patrimônio como esse que é a ponte. Temos um contigente de 150 policiais militares no Batalhão de Trânsito e mais 60 do Departamento de Trânsito, o que ainda é um número baixo. Esperamos ter 200 PMs atuando a partir de 1º de dezembro com a entrada de novos policiais que estão sendo treinados.

Balanço de fim de semana dos radares móveis registra 1.756 autos de infrações

Um total de 1.756 autos de infração foram emitidos desde a noite da última sexta feira e madrugada de ontem nas fiscalizações por meio de radares móveis nas ruas de Manaus. A prática foi retomada justamente na última sexta. A informação é do Departamento Estadual de Trânsito.

Desse montante de 1.756 autuações,  25 foram por excesso de velocidade e 17 em embriaguez dentro da chamada “Lei Seca”.

Cada radar móvel que faz o controle de velocidade na capital tem capacidade de fiscalizar uma irregularidade a 500 metros de distância, sendo manuseados por agentes do Detran posicionados em locais estratégicos.

Leonel Feitoza informou que a implantação de novos radares eletrônicos, conhecidos popularmente como “corujinhas”, ainda encontra-se em processo de licitação.
Questionado por A CRÍTICA na semana passada se a implantação dos radares móveis iria cancelar um possível retorno dos dispositivos eletrônicos, o diretor-presidente comentou que a responsabilidade dos radares antigos é do Municipio, e não do Estado.

As mais frequentes infrações do trânsito manauense são por excesso de velocidade,  licenciamento em atraso, mau estado de conservação do veículo e  motorista sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
 

Publicidade
Publicidade