Domingo, 21 de Abril de 2019
publicidade
1.gif
publicidade
publicidade

Notícias

Amamentação exclusiva é fundamental nos primeiros meses do bebês, alertam especialistas

Apesar dos desafios superados por muitas mães neste período, especialistas garantem que o leite materno é o melhor alimento para os bebês


09/04/2015 às 10:28

A amamentação é um processo entre mães e filhos que envolve amor, confiança, dedicação e superação. Especialistas recomendam a amamentação exclusiva até os seis primeiros meses de vida, mas muitas mães não tem a sorte de viver o momento com tranquilidade e por conta da necessidade de desenvolverem outras atividades durante este período, os desafios se tornam maiores.

“O leite materno é o alimento ouro para os primeiros meses de vida de uma criança e a função do pediatra é de influenciar positivamente nesse trabalho, que já pode ser iniciado antes mesmo do parto, através da consulta pediátrica no pré-natal”, explica a pediatra Andrea Pereira, coordenadora do serviço de Pediatria Hospitalar da Unimed Manaus.

Para a médica, o ideal é que o aleitamento materno seja exclusivo até os seis meses, e a partir dessa idade, iniciar os alimentos complementares. “Vale lembrar que o que oferece essa segurança é o acompanhamento pediátrico mensal, ou a cada 15 dias, associado com o crescimento e desenvolvimento do bebê e fatores externos”, ressalta.

A empresária Jackeline Vieira, 27, amamentou o primeiro filho até os quatro meses. Por causa de estresse, ela teve problemas de saúde e não conseguiu mais amamentar. “Como trabalho para mim mesma, não consegui separar e conciliar o trabalho com a experiência de ser mãe pela primeira vez e isso me deixava preocupada. Por conta do estresse, eu não produzi mais leite. Foi um momento muito difícil na minha vida”, relembra, bastante emocionada.

A pediatra Andréa explica que situações como esta estão cada vez mais comuns. “Com a chegada do século 21, as mulheres respondem por inúmeras responsabilidades, como casa e trabalho etc. O que leva algumas vezes demandar esses bebês aos cuidados de babás ou creches, e nesse momento, há a necessidade de se iniciar alimentos complementares antes dos seis meses. Mas podemos trabalhar também a ordenha do leite materno para ser oferecido nos momentos de ausência da mãe”, recomenda.

A presença da família é essencial para quem está passando pela experiência. “O manejo da amamentação vai depender muito das habilidades, de aconselhamentos por parte dos profissionais responsáveis, sendo o principal, o pediatra, assim como a mãe e a família”, pontua.

“Momento de entrega”

Luciana Athan está passando pela experiência da amamentação pela primeira vez. A pequena Sophia, de 5 meses, mama exclusivamente a cada duas horas, pelo menos. “Ela nunca teve nenhuma doença e é uma criança super saudável”, conta a mãe, que antes tinha muitas dúvidas sobre o assunto.

“Quando eu engravidei não imaginava como um bebê poderia sobreviver sem beber água, mas felizmente durante o pré-natal a minha médica me falou dos benefícios da amamentação exclusiva e criei confiança. Quando ela nasceu, a enfermeira viu que eu já tinha o ‘colostro’ (forma de leite de baixo volume secretado nos primeiros dias de amamentação) então ela pôde mamar nos primeiros minutos vida, o que é muito importante para o bebê”, contou.

Luciana confia nos benefícios da amamentação e recomenda que todas as mães se informem sobre o assunto. “A primeira ‘mamada’ é uma sensação inexplicável. É um vínculo e elo incríveis, é uma doação, mas também é um desafio porque nos primeiros dias é bem difícil. Eu pude contar com o suporte da minha família, mas conheço mães que passaram por algumas dificuldade e desistiram”.

Benefícios da amamentação

O leite humano é o mais completo alimento; Oferece mais do que nutrição para a criança por meio de macro e micronutrientes importantes para o crescimento do bebê; Também contém imunoglobulinas, antioxidantes, oligossacarídeos;Fortalece a imunidade, evita cólicas e promove a saúde e proteção contra doenças;Supre as necessidades emocionais e da adaptação ao mundo;Tem papel importante no sistema nervoso da mãe, diminuindo o estresse;Diminui as chances de desenvolver sintomas de asma na infância; O esforço do bebê para sugar o leite ajuda no desenvolvimento dos pulmões, fortalecendo o órgão contra alergias

Análise da pediatra Andréa Pereira: “Missão honrosa”

Amamentar é um aprendizado a dois, ou a três. Muitos pais tem uma atuação positiva nos primeiros dias, em ajudar a colocar no colo materno, ajudar na "pega" do bebê ao seio. Pode haver pequenas dificuldades nos primeiros dias da amamentação, como fissura do mamilo, dor em mães submetidas a cesáreas, o cansaço, mas tudo superável. Ser mãe é ter a missão mais nobre e honrosa nessa vida, amor incondicional, e quando recebemos aquele primeiro sorriso, não há como mensurar tal sentimento. E no parto, quando se tem o equilíbrio do binômio mãe-recém nascido, já se faz o contato pele-pele para sentir o calor da mãe, a segurança, e estimular o aleitamento materno já naquele momento. O bebê continua se sentindo protegido.

publicidade
publicidade
Autoexame da mama não substitui exame clínico, diz Ministério da Saúde
Confira a lista dos 774 convocados no concurso da Susam de 2014
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.