Sábado, 24 de Julho de 2021
REDUÇÃO

Amazonas apresenta redução de Doenças de Veiculação Hídrica, aponta FVS

As principais reduções foram observadas no cenário de doenças diarreicas agudas (DDA) e leptospirose. Já a hepatite A apresenta estabilidade no número de casos.



4f2463c8-a098-4821-9953-2b90d84ec853_29544370-938A-41C7-9253-BA770FAC7B6F.jpg Foto: Divulgação
18/06/2021 às 13:38

O Amazonas apresenta redução de casos de Doenças de Veiculação Hídrica, na análise comparativa entre os meses de janeiro a maio de 2021 com o mesmo período de 2020. Registradas pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), as principais reduções foram observadas no cenário de doenças diarreicas agudas (DDA) e leptospirose. Já a hepatite A apresenta estabilidade no número de casos.
 
Conforme balanço atualizado das doenças de veiculação hídrica, consolidado pela FVS-AM, as doenças diarreicas agudas apresentaram redução de 14%, sendo registradas 52.095 ocorrências de janeiro a maio deste ano e 60.570 nos primeiros cinco meses de 2020. No entanto, um aumento de 1,52% pode estar associado à vazante de algumas calhas dos rios.
 
O estado também apresenta redução de 13% do cenário de leptospirose, sendo 13 casos notificados de janeiro a maio de 2021, e 15 no mesmo período do ano anterior. Ainda conforme o balanço, a hepatite A apresentou estabilidade no número de casos, sendo dois casos até maio deste ano, e dois no mesmo período de 2020.
 
Atenção e cuidados – Para o diretor-presidente da FVS-AM, Cristiano Fernandes, mesmo com a redução de casos identificados na DDA e leptospirose, ainda é necessário estar atento e manter os cuidados preventivos a essas doenças, principalmente com a aproximação do período de vazante dos rios.
 
“O alerta é reforçado principalmente aos ribeirinhos, que acabam tendo mais contato com a água dos rios nas cheias. Essa população deve tomar cuidado redobrado para evitar se contaminar com essas doenças”, destacou Cristiano.
 
O gerente de doenças transmissíveis do Departamento de Vigilância Epidemiológica da FVS-AM (DVE/FVS-AM), Alexsandro Xavier, recorda que muitos ribeirinhos mudam temporariamente de moradia, fugindo da cheia dos rios. O retorno para o lar dessas populações deve incluir cuidados como calçar botas, utilizar máscaras de proteção respiratória, além do cuidado ao desmontar as “marombas”, estruturas utilizadas para elevar o chão da casa.
 
“Nesse retorno para casa, é importante tomar todos os cuidados preventivos, pois a casa abandonada pode apresentar vários riscos, como doenças, e também animais peçonhentos que possam ter adentrado no ambiente durante esse período” alertou Alexsandro.
 
Prevenção – A FVS recomenda que a população se previna contra as Doenças de Veiculação Hídrica, mantendo cuidados como utilização de botas, em caso de alagamentos ou ao entrar em ambientes há muito tempo fechados, e fazer uso de água sanitária ao higienizar o ambiente.
 
Referência – A FVS-AM é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas e atua no monitoramento de doenças no estado, que inclui investigar de forma integrada, as ocorrências de surtos de doenças transmitidas por água e alimentos, realizado pela Gerência de Vigilância de Doenças Transmissíveis (GVDT/FVS-AM). A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus.



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.