Domingo, 22 de Setembro de 2019
HISTÓRIA

Amazonas comemora 132 anos da abolição dos escravos no próximo domingo

Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) realiza programação no Largo São Sebastião nesta sexta-feira. Amazonas foi o segundo estado do País a acabar com a escravatura em 1884



negros.JPG Apesar de ter sido vanguarda no passado, o Amazonas viu surgir manifestações racistas contra os negros haitianos (Foto: Arquivo/AC)
08/07/2016 às 12:52

No próximo domingo se comemora os 132 anos do fim da escravatura no Amazonas, que aconteceu bem antes da edição da Lei Áurea pela Princesa Isabel. Em 1884, o Amazonas se tornou o segundo Estado brasileiro a declarar livres os escravos negros.

São 132 anos de liberdade e apesar de existirem políticas públicas que abordam o acesso à cidadania de índios e negros, estas ainda são incipientes ou ficam restritas a letra mortal nos planos de governos, é o que afirma o pesquisador e mestre de capoeira Kaká Bonates.

“A data comemora um fato que, apesar de representar uma vanguarda para a história do Amazonas em relação a outros Estados, nos remete a constatação de que ainda hoje há por parte das instituições e da sociedade em geral no Amazonas, a negação ou invisibilidade do papel da negritude na construção do Estado, tanto de forma quantitativa quanto qualitativa, notadamente na cultura popular”, completou Bonates.

Para o sociólogo Francinézio Amaral, há dois pontos importantes a serem destacados neste evento histórico. “É preciso ressaltar primeiro que o mais importante é entendermos que a abolição da escravatura no Amazonas não foi uma ato de bondade, não foi um ato de pena ou um sentimento pelo sofrimento daqueles que eram escravizados, mas foi um ato principalmente econômico, uma vez que chegou o momento que esse modo econômico de produção – escravidão - se tornou insustentável”, ressaltou o sociólogo.

Amaral destaca que outro ponto é a questão de como a sociedade amazonense vem lidando com os seus fatos históricos relevantes. “A verdade é que uma parcela muito pequena da população conhece e dá importância necessária a esses fatos históricos. É sempre crucial que a população de modo geral, possa conhecer a sua história e dar valor a esses fatos para que um dia possamos chegar a um estágio em que o preconceito não seja mais uma tônica da nossa sociedade”, finalizou.

Programação

Hoje, em alusão a Abolição da Escravatura no Amazonas, comemorada no próximo domingo, a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) com o apoio da Secretaria de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) e movimento negro, realiza uma programação especial no largo São Sebastião, Centro, de 14h às 18h.

O evento vai contar com a participação de professores de história e de 140 alunos do ensino médio de escolas públicas estaduais localizadas próximo ao local. O objetivo é utilizar as atividades do encontro como subsídio para um trabalho escolar com o tema “Refletindo a Abolição da Escravatura no Amazonas”.

A atividade inclui, exposição dos trabalhos realizados pelos alunos, apresentação do grupo de dança Mutalembê e roda de capoeira.

Escravos

Os primeiros escravos negros chegaram ao Amazonas durante o período de governo do Marquês de Pombal (1750 a 1777) quando,de acordo com Arthur Reis em seu livro “História do Amazonas”, 12.587 africanos foram colocados à venda em Belém pela Companhia Geral do Comércio do Grão Pará e Maranhão. Moradores do rio Negro, certamente portugueses e com algum poder aquisitivo, compraram vários exemplares dessa “novidade” e os trouxeram para o Amazonas.

O Amazonas foi, juntamente com o estado do Ceará, pioneiro na abolição da escravidão no país, fato que ocorreu em 1884, portanto 4 anos antes da conhecida Lei Áurea de 1.888, promulgada por causa da situação insustentável que era manter o regime de escravidão no Brasil que já se vinha desenhando havia anos, tanto por parte de pressões internacionais quanto pelas revoltas e ações dos próprios escravos e também pelo trabalho da Maçonaria e de abolicionistas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.