Publicidade
Cotidiano
Notícias

Amazonas é o menor em acesso à Central de Atendimento à Mulher

Estado é o último da federação em acesso ao Ligue 180, do Governo Federal; adesão à programa nacional pretende mudar realidade 30/10/2013 às 08:21
Show 1
Secretária Nacional, Aparecida Gonçalves, está em Manaus para adesão do AM ao programa Mulher, Viver sem Violência
jornal a crítica ---

O Amazonas é o Estado da federação com menor acesso à Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM), no primeiro semestre deste ano. O problema é a distância, em relação ao interior, e falta de divulgação do serviço na capital, segundo a secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves.

Somente dez dos 62 municípios foram atendidos, o que corresponde a 16% de cobertura. Amazonas e Manaus ocuparam a 27ª posição dentre as unidades federativas e capitais em acesso ao 180.

“A grande realidade é, de fato, o acesso à informação. Para se ter uma idéia, a Bahia, quando aderiu ao programa, saiu de 15º para o 1º lugar em acesso depois de divulgar o Ligue 180 no Carnaval”, explicou a secretária nacional que desembarcou ontem em Manaus. Hoje, às 9h30, ela participa da solenidade de assinatura de termo de adesão do Amazonas à iniciativa do Governo Federal ao programa “Mulher, Viver sem Violência”, no palácio Rio Negro, Centro.

O Estado é o 12º a aderir ao programa que tem investimento total de R$ 305 milhões e vai receber duas unidades móveis para o enfrentamento à violência contra mulheres na fronteira e na floresta.

Com custo unitário de R$ 550 mil, os ônibus têm instalações acessíveis para pessoas com deficiência, possuem duas salas de atendimento, netbooks com roteador e pontos de internet, impressoras multifuncionais (para digitalização de documentos e fotocópias), geradores de energia, ar condicionado, projetor externo para telão, toldo, 50 cadeiras, copa e banheiro.

Além da doação dos veículos, a SPM arcará, pelo período de um ano, com despesas de manutenção (pneus rodantes, combustível do veículo, gerador, óleos, aditivos e kits).

Reforço

Além disso, em conjunto com o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, o programa vai equipar e ajudar na manutenção da Casa da Mulher Brasileira em Manaus, que vai concentrar os serviços da rede de atendimento especializado à mulher como delegacia, atendimento psicossocial, qualificação e encaminhamento para o mercado de trabalho, dentre outros serviços.

Outros reforços estão sendo implantados no País como organização dos serviços na saúde e na coleta de vestígios de crimes sexuais, em parceria com os ministérios da Saúde e da Justiça; criação de seis centros de atendimento em fronteiras secas para enfrentar o tráfico de mulheres e campanhas continuadas de comunicação para prevenção da violência.

Publicidade
Publicidade