Segunda-feira, 19 de Abril de 2021
Líder de reclamações

Amazonas energia é bicampeã em reclamações

A concessionária teve no ano passado 2.782 reclamações junto ao Procon Amazonas. Mais de quatro vezes que o segundo colado



show_show_FATURA-CONTA-DE-LUZ_82796907-7FA5-41D0-A013-1176D2F6CE9A.jpg Foto: Arquivo A CRÍTICA
11/01/2021 às 08:15

Pelo segundo ano consecutivo, a empresa Amazonas Energia conquista o lastimável primeiro lugar no ranking das empresas com maior número de reclamações no Procon Amazonas. A lista, divulgada pelo órgão estadual, na semana passada, aponta que a concessionária de energia detém 2782 reclamações registradas no sistema do órgão de proteção em decorrência de problemas relacionados com a suspensão indevida de energia, demora no restabelecimento do fornecimento, chamados presenciais não atendidos e, em 2020 em especial, pessoas que tiveram o fornecimento do serviço cortado após a divulgação de mudanças nas leis municipais, estaduais e federais que proibiam o corte de fornecimento em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Segunda no ranking, a Águas de Manaus reduziu em 50% o número de reclamações referentes aos serviços em 2020. Em 2019, foram registradas 1.365 reclamações contra a Águas de Manaus, em 2020, esse número diminuiu para 671. Depois da concessionária de água, o ranking do Procon segue com Claro S/A – Net (324), Telefônica Vivo (268) e Oi Fixo (195).



Amazonas sem Energia

Não é difícil encontrar  nas redes sociais pessoas reclamando sobre falta de energia em alguns bairros da cidade. No dia 5 de janeiro, após forte chuva o  fornecimento de energia para as residências  dos bairros Compensa, Bairro da Paz, Japiim, Santo Antônio,Redenção e Crespo, entre outros, foi interrompido. 

O pedreiro Sebastião Pedroso Gonçalves, 55, morador de uma residência localizada na venida Silves, no bairro Raiz, disse que passou muito tempo sem luz em casa. “Foi um sofrimento. Muito calor, a chuva ainda ajudou a esquentar mais com o abafado da rua. E a gente sem energia para ligar ao menos um ventilador. Estamos confinados em casa. Por isso, o serviço de energia não deveria falhar nessa hora que precisamos tanto permanecer em casa. Não podemos sair e sem energia não aguentamos ficar em casa”, disse

Ao longo do ano, por conta da pandemia, muitas pessoas tiveram que optar por trabalhar em casa, na modalidade home office. Mas, muitas pessoas como Raquel Nascimento, 33, processadora de dados, chegou a ter que ir trabalhar na casa de parentes para poder completar o serviço prestado em casa.

 “A gente acaba se expondo ao vírus com essa fragilidade no fornecimento de energia. E se numa dessas saídas em busca de fornecimento de energia, que no meu caso são necessárias, sim, porque trabalho com dados, sistemas, computadores, que demandam energia, eu me contaminar? De quem será a culpa ? Como ficarei? Acredito que a concessionária de energia deveria fortalecer os serviços para não nos colocar em situação de nos expor ao vírus pela necessidade de trabalharmos num local que haja energia”, disse.

Corte irregular

Raimundo Coimbra, 45, disse que pretende representar contra a concessionária. O empresário explicou que teve o fornecimento de energia cortado na empresa que fornece refeições, localizada no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, mesmo com as contas em dia. “Tive um grande aborrecimento. Fiquei dois dias sem energia no meu escritório, mesmo com as contas pagas. Disseram que foi um erro, mas levaram dois dias para restabelecer minha energia. Trabalho com alimentos e alguns chegaram a estragar devido a falta de energia. Vou deixar pra justiça resolver isso, porque é um absurdo uma situação como essa”, disse.

Onde e como reclamar

No primeiro artigo da lei estadual nº 5.143/2020 de 26 de Março de 2020 o Estado do Amazonas “proíbe que as concessionárias de serviços públicos de água e energia elétrica realizem o corte do fornecimento residencial de seus serviços por falta de pagamento, em situações de extrema gravidade social, incluindo pandemias”. No artgo 2.º fica estabelecido ao consumidor que tiver o fornecimento interrompido o direito de procurar a concessionária e exigir o imediato restabelecimento do fornecimento. A multa por consumidor afetado é de R$ 2 mil para a empresa.

Os consumidores que se sentirem lesados por cortes irregulares no fornecimento de energia e água podem entrar em contato com o Procon por meio dos seguintes números: 0800-092-1512(92)3215-4009O consumidor também pode acessar o site http://www.procon.am.gov.br/servicos/denuncias/ e preencher um formulário para enviar denúncias ao órgão público.

Também pode entrar em contato com a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Municipio de Manaus no  0800-092-3511 ou acessar o site https://ageman.manaus.am.gov.br/


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.