Terça-feira, 21 de Maio de 2019
ARRECADAÇÃO

Amazonas fecha 2016 com relativa tranquilidade financeira, diz secretário

Secretário da Sefaz-AM, Afonso Lobo, ressalta que o Amazonas está na ‘contramão’ dos demais estados. A arrecadação do Estado somou aproximadamente R$ 10 bilhões



IMG0017316981.JPG
Afonso Lobo, ressalta que o Amazonas finaliza o ano de 2016 com uma “relativa tranquilidade”
28/12/2016 às 13:17

Em meio a Estados decretando situação de calamidade financeira, o secretário estadual da Fazenda (Sefaz-AM), Afonso Lobo, ressalta que o Amazonas está na ‘contramão’ finalizando o ano de 2016 com uma “relativa tranquilidade”. “[...] estamos com os nossos compromissos, rigorosamente, em dia. Nunca, desde que a crise começou, o Estado encerrou o mês em uma situação tão confortável”, enfatizou Lobo.

A arrecadação do Estado do Amazonas somou aproximadamente R$ 10 bilhões. De acordo com o secretário de Fazenda, diante da crise econômica o Amazonas teve queda de 4% em relação ao período do ano passado, porém os números já eram esperados.

Visando o crescimento de forma sustentável, o secretário destaca as reformas feitas pelo Estado para a redução dos gastos. “O Amazonas é um ponto fora da curva, conseguiu manter uma disciplina fiscal muito grande ao longo desses dois anos, graças a duas reformas administrativas de fôlego que fez, onde reduziu a estrutura administrativa”, explicou.

A crise política foi apontada como um obstáculo para o crescimento da economia brasileira. Em 2017, a projeção de arrecadação é semelhante ao de 2016, uma vez que há uma incerteza do que acontecerá no País. A previsão é que o segundo semestre haja um crescimento significativo. “Nós esperamos que seja um ano bom, melhor que 2016, mas nós não temos essa segurança. A crise política não nos dá margem para pensarmos em algo melhor, pelo menos por enquanto”, disse Lobo.

Novidades

A partir de abril de 2017, a Campanha Nota Fiscal Amazonense (NFA) terá a inclusão de uma nova modalidade de premiação. “Serão dez prêmios de R$ 300 todo mês para operadores de caixa, com isso a Sefaz quer fazer com que os operadores de caixa tenham iniciativa de perguntar se a pessoa quer CPF na nota”, explica o coordenador da campanha, auditor fiscal Augusto Bernardo Cecílio.

A equipe da campanha junto aos técnicos da Sefaz já estuda a possibilidade para que em 2017 sejam incluídos descontos no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para os cidadãos participantes da campanha para incrementar a iniciativa.

A novidade para empresas em débito com as contribuições é que haverá o parcelamento das dívidas, beneficiando todas as empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) que tiverem pendência. “Empresas de bens intermediários estavam com dificuldades, então nós abrimos uma janela de parcelamento por 30 dias”, contou Lobo.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.