Publicidade
Cotidiano
Telefonia móvel

Amazonas pode ter novas linhas de celular 'brecadas'

A medida deve ser solicitada pelo Ministério Público, Defensoria Pública e Câmara Municipal de Manaus à Anatel 17/08/2013 às 16:36
Show 1
Audiência discutiu a qualidade ruim dos serviços prestados pelas operadoras
Jornal A Crítica ---

A Defensoria Pública do Estado (DPE), Ministério Público do Estado e a Comissão de Defesa do Consumidor (Comdec), da Câmara Municipal de Manaus (CMM) pretendem se reunir na segunda-feira(19), para dar entrada numa representação junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pedindo a suspensão da comercialização de novas linhas de telefonia celular na capital amazonense.

A decisão foi tomada nessa sexta-feira(16), após audiência pública que ocorreu na  Câmara Municipal de Manaus, onde as operadoras tiveram que explicar os motivos da má qualidade do serviço que prestam. Elas enviaram representantes que falaram de investimentos e o tamanho do mercado delas no Amazonas, mas acabaram não satisfazendo a expectativas dos vereadores.

Em Manaus, a Vivo apresenta 2,4 milhões de usuários com percentual de mercado de 65%. Segundo dados da Anatel, no Estado são 2,4 milhões de pré-pagos e 250 mil pós-pagos, num total de 2,6 milhões acessos. A operadora TIM tem em sua planta 760 mil pré-pago, 94 mil pós-pago, somando um total de 850 mil códigos de acesso, com percentual de mercado em torno de 20,5%. A OI tem 230 códigos de acesso pré-pago, 140 mil pós-pago, representando um total de 375 mil, com percentual de mercado de 9%. Na cidade de Manaus, a OI retém 336 mil acesso com o percentual de mercado de 8,9%. A Claro retém 230 mil códigos de acesso com o percentual de mercado de 6%.

O diretor regional da Vivo, Emerson Martins afirmou que a empresa está investindo R$ 280 milhões. “O Linhão de Tucuruí irá melhorar o desempenho da operadora, além disso, em setembro estará chegando também a fibra ótica, com capacidade de 100 gigas”, revelou.

Já a Tim informou R$ 24 milhões em investimentos na cidade, também com foco na fibra ótica. A representante da empresa, Jaqueline Pina Barra, também garantiu que o usuário da operadora poderá sentir nos próximos meses a diferença no serviço. Os representantes das demais operadoras de telefonia apontaram que haverá mais investimentos, principalmente em infraestrutura na região até 2014.

Publicidade
Publicidade