Publicidade
Cotidiano
Notícias

Amazonas registra a maior queda na produção industrial do País em janeiro, informa IBGE

O recuo de 12,4% revela um ritmo de queda mais intenso do que o observado no último trimestre do ano passado, quando registrou queda de -11,1% 10/03/2015 às 18:03
Show 1
IBGE divulga resultado da produção industrial no país
Saadya Jezine Manaus (AM)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta terça-feira (10), dados sobre a produção industrial no Brasil. Conforme os dados, o Amazonas sofreu recuo de 12,4% no índice mensal de janeiro de 2015, ritmo de queda mais intenso do que o observado no último trimestre do ano passado (-11,1%), ambas as comparações contra iguais períodos do ano anterior.

Em seguida vem a Bahia, com 12,1%, Paraná com 12,0% e o Rio Grande do Sul com queda de 11,3%, no ranking dos maiores recuos na produção.

No Estado, a taxa anualizada, índice acumulado nos últimos doze meses, ao recuar 5,6% em janeiro de 2015, manteve a trajetória descendente iniciada em março de 2014 (9,5%) e assinalou a queda mais intensa desde março de 2013 (-7,0%).

No País, apesar dessa produção se apresentar de forma diversificada, segundo os próprios dados apontam, a especialização em setores intensivos em recursos naturais ainda se apresenta imatura e com pouco avanço em direção ao fortalecimento de cadeias produtivas com produtos de maior conteúdo tecnológico.

O ramo de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-31,4%) exerceu a influência negativa mais relevante sobre o total da indústria, pressionado, sobretudo, pela menor produção de televisores.

Outros recuos importantes ocorreram nas atividades de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-17,6%) e de outros equipamentos de transporte (-16,5%), explicados, em grande parte, pela queda na fabricação de gasolina automotiva e óleos combustíveis, na primeira; e de motocicletas e suas peças, na segunda.

Por outro lado, o ramo de bebidas (25,2%) apresentou alta significativa, impulsionado, especialmente, pela maior fabricação de preparações em xarope para elaboração de bebidas para fins industriais. A outra categoria que apresentou aumento foi de máquinas e equipamentos (22,4%).

Publicidade
Publicidade