Publicidade
Cotidiano
CRIME

Amazonas registra quatro casos de tráfico de pessoas em 2017

Segundo a secretária da Sejusc, Graça Prola, os números são da Polícia Federal que, também, informou a existência de outros sete casos em investigação preliminar 26/07/2017 às 17:57
Show trafico humano
acritica.com

O registro de quatro casos de tráfico humano para fins de exploração sexual internacional neste ano foi anunciado nesta quarta-feira, 26 de julho, durante o lançamento da 3ª Edição da Campanha Estadual “Coração Azul contra o Tráfico de Pessoas”, promovido pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) no Porto Ceasa (Vila Buriti, zona Sul).

Segundo a secretária da Sejusc, Graça Prola, os números são da Polícia Federal (PF) que, também, informou a existência de outros sete casos em investigação preliminar para constatar se trata-se de tráfico humano. “Todas as ocorrências seguem com investigação em segredo de justiça para zelar pela segurança das vítimas. Infelizmente, é fato: Manaus é rota do tráfico de pessoas. E mesmo com um número inexpressivo se comparado a outras capitais do sul e sudeste do Brasil, é necessário prevenção e para isso munir a população de informação é fundamental. Esses são os objetivos da campanha, sensibilizar, informar e prevenir”.

 Em 2016 a Sejusc acompanhou a situação de quatro mulheres, de um grupo que totalizava nove, traficadas para o Suriname. Elas foram resgatadas pela PF e trazidas para o Amazonas após denúncia de uma delas que conseguiu contatar com o Brasil. “As outras cinco mulheres foram levadas para Roraima, estado de onde saíram para o Suriname. Hoje todas estão com suas famílias, mas, infelizmente, existem centenas de casos no mundo em que a vítima nunca mais voltou ao lar ou mesmo entrar em contato com os familiares”.

 A secretária alerta, ainda, que todas as pessoas são potenciais vítimas do tráfico de pessoas, no entanto, existem alguns públicos vulneráveis como o de adolescentes do sexo feminino e mulheres, usadas geralmente para exploração sexual, prostituição e casamento servil; crianças, para remoção de órgãos e adoção ilegal; travestis e transexuais, para prostituição e; homens para trabalho escravo e mendicância. “Os aliciadores geralmente são muito simpáticos, educados e possuem um poder de persuasão fortíssimo. Eles chegam a fazer amizade com os familiares da potencial vítima prometendo emprego com ganhos financeiros elevados e uma vida fácil fora da cidade onde a pessoa mora. Por isso, fique alerta, desconfie. Quando a oferta é muito boa é melhor se prevenir”, explica.

Denúncias

O disque 100 é o canal mais acessado para fazer denúncias de tráfico de pessoas. Outros meios é através do Centro Estadual de Referência em Direitos Humanos pelos telefones (92) 3131-2301/2302, pelo 192 da Polícia Militar e pelo 180 que é o de atendimento a violência contra a mulher. Em todos os meios, o denunciante não precisa se identificar. Para quem está no exterior pode denunciar gratuitamente no 900 990 055 (Espanha), 800 800 550 (Portugal) e 800 172 211 (Itália). 

Campanha continua e segue até o final do mês

A campanha segue até o dia 30 de julho (domingo), data em que acontece a caminhada do Coração Azul Contra o Tráfico de Pessoas no Complexo Turístico Ponta Negra (zona Oeste) das 08h às 10h. 

Nesta quarta-feira, 26 de julho, a ação iniciou com uma abordagem educativa realizada no Porto da Ceasa, junto aos barqueiros, feirantes, taxistas e usuários do local. A dona de casa, Marília Arcanjo, 28, moradora do município Careiro, estava retornando para casa com os dois filhos, de 1 ano de idade e uma menina de 10 anos e disse que nunca tinha ouvido falar sobre tráfico humano. “Não sabia que podia vender pessoas. Agora vou ficar mais atenta e explicar para a minha família que esse crime existe”.

No período da tarde, representantes de taxistas de Manaus participaram de uma roda de conversa com a Sejusc, Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Rede Um Grito Pela Vida. "Já estava na hora de sermos incluídos numa agenda importante como esta. A gente já vive essa realidade mas quanto mais informação, melhor. Com certeza, vamos abraçar a causa e ajudar a sociedade no combate a esse crime horrível. Podemos salvar vidas", garantiu o representante do Sindicato dos Taxistas de Manaus, Wilson Ramos.

Além disso, aconteceu o lançamento da iluminação na cor azul de prédios públicos, como o da Sejusc, Teatro Amazonas, Câmara Municipal de Manaus, Assembleia Legislativa do Amazonas e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM).

No dia 27 de julho, das 15h às 17h acontece uma abordagem educativa em pontos de táxi de Manaus. No dia 28, os municípios do Amazonas se integram em uma videoconferência das 09h às 11h no Centro de Mídias da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), no bairro Japiim II, zona sul de Manaus. Na mesma data, das 16h às 18h, a “Roda de Conversa – Tráfico de Pessoas: conceitos, características e legislação”, acontece com os guias de turismo que atuam em Manaus. Será no Cetam/EAD (Rua Ramos Ferreira, 199, Centro).

No dia 29 de julho das 22h às 2h está programada uma abordagem preventiva e entrega de materiais informativos nos principais pontos de atuação de travestis, transexuais e profissionais do sexo de Manaus.

*Com informações da assessoria de comunicação. 

Publicidade
Publicidade