Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

Amazonas registra três casos confirmados de gripe suína em 2018, diz Susam

Informação foi divulgada nesta sexta-feira (8). Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza termina no próximo dia 15 e quase 40% do público-alvo no Estado não se vacinou 08/06/2018 às 21:40 - Atualizado em 08/06/2018 às 21:48
Show img 4374
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) divulgou, nesta sexta-feira (8), que três casos de gripe H1N1 (gripe suína) já foram confirmados no Amazonas em 2018. O Estado não registrava casos da doença desde 2016, segundo a Susam.

A gripe H1N1 é uma doença causada por uma mutação do vírus da gripe e se tornou conhecida quando afetou grande parte da população mundial entre 2009 e 2010. Os sintomas e a transmissão da gripe H1N1 são bem parecidos com os da gripe comum, mas ela pode levar a complicações de saúde muito graves e ser fatal.

Detalhes como os municípios onde moram os pacientes com a confirmação da doença não foram revelados pela Susam. No entanto, na última quinta-feira (7), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) confirmou que uma criança de um ano foi o primeiro paciente com gripe H1N1 identificado em Manaus neste ano.

Em 2018, segundo os números divulgados pela Susam nesta sexta-feira, foram registrados no Amazonas 60 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (tipo de pneumonia grave) e 53 casos de Síndrome Gripal. Dos vírus que circulam hoje no Estado, o monitoramento identificou 25 casos de H3N2 (subtipo do vírus Influenza), sete de Influenza B e três de H1N1.

“Todos esses vírus têm prevenção por meio da vacina, que é gratuita e está disponível em qualquer unidade da rede básica de saúde no Estado”, afirma o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde no Amazonas (FVS-AM), médico infectologista Bernardino Albuquerque.

Bernardino explica que as viroses aumentam na transição de clima, do inverno para o verão amazônico. Também é preciso considerar que os vírus, incluindo o H1N1, estão circulando no País e são trazidos por pessoas que viajam de outros estados para o Amazonas, segundo ele.

“A transmissão do vírus é de pessoa a pessoa, portanto, a proteção é individual, através da vacina e da lavagem das mãos com maior frequência”, alertou.

Vacinação

A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza foi prorrogada em todo o Brasil até o próximo dia 15. O público-alvo da campanha é composto pelos seguintes grupos: crianças de seis meses a menores de cinco anos, idosos, pessoas com doenças crônicas, grávidas, mulheres até 45 dias após o parto, trabalhadores da saúde, profissionais da educação, povos indígenas, pessoas privadas de liberdade e profissionais do sistema prisional.

O secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, faz um alerta à população suscetível, para a necessidade de se vacinar contra a gripe. “Apesar de a vacina estar disponível em todas as unidades de saúde da rede básica, na capital e no interior há mais de um mês, a adesão da população ainda não é a ideal, uma vez que estamos há uma semana de encerrar a campanha”, observa.

No Amazonas, alcançou, até o momento, 572.223 pessoas. O número corresponde a 61,6% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é de imunizar 90% do público-alvo – aproximadamente 928 mil amazonenses.

Publicidade
Publicidade