Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
Estatística

AM se prepara para coleta de informações para o Censo Escolar da Educação Básica

Antes do Dia Nacional do Censo Escolar, que acontece dia 25, Manaus sedia até a próxima sexta-feira a primeira parte do curso de capacitação de 250 profissionais que vão colher dados em todo o Amazonas



censoescolar.JPG Auditório da Escola Estadual Petrônio Portela sedia encontro onde é realizado um curso de capacitação para profissionais da Educação (Fotos: Márcio Silva)
17/05/2016 às 19:10

As atividades prévias censitárias educacionais deste ano  terão início no próximo dia 25, “Dia Nacional do Censo Escolar da Educação Básica”. Nesta data, todas as escolas precisam coletar os seus dados de matrículas, condição para informar oficialmente, no Censo Escolar 2016, o contingente de alunos regularmente matriculados e que está frequentando a escola no ano corrente.

A partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB - 9.394/96), a Educação Básica passou a ser estruturada por etapas e modalidades de ensino, englobando a Educação Infantil, o Ensino Fundamental obrigatório de nove anos e o Ensino Médio.

“A finalidade do censo é ter dados e informações precisas sobre a educação em todos os Estados e Municípios da União. Ele também é a base de repasses de recursos tanto financeiros quanto pedagógicos para a Educação, Fundeb, programas de formação de professores, recursos para transporte e alimentação escolares e livros didáticos”, informa Silvana Moraes, gerente de Estatística da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), órgão que gerencia a coleta e sistematização de dados de toda a rede escolar do Amazonas.

Realidade regional

Quem fornece as informações aos recenseadores são os próprios secretários de escolas e gestores com base nas informações de alunos e docentes que integram essas unidades educacionais.
A representante da Seduc disse que o órgão ainda não identificou nenhum caso de município que tenha maqueado as informações sobre seus números de alunos e professores visando ter direito aos recursos educacionais.

“O que percebemos é mais um descontrole administrativo que pode acontecer em qualquer órgão por conta, por exemplo, de escolas que sejam muito dispersas. Veja o exemplo de São Gabriel da Cachoeira, município quase 100% indígena e no qual as escolas são muito distantes da sede da cidade e onde para se deslocar se gasta um absurdo de recursos para chegar nas comunidades”, explica Silvana Moraes.

Curso de capacitação

No Amazonas, o auditório da escola estadual Senador Petrônio Portella, no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, sedia até a próxima sexta-feira a primeira parte do curso de capacitação de 250 profissionais da Educação que atuarão na coleta de informações que vão gerar o Censo Escolar da Educação Básica deste ano. 

A atividade iniciou na última segunda-feira com a presença de representantes dos 62 municípios do Amazonas. O curso é organizado pela Seduc. A partir de sexta, e até setembro, prazo final do censo, o curso será realizado à distância, pela plataforma “moodle”. Durante a formação, os técnicos terão acesso aos principais conceitos, legislação e uso do sistema Educacenso, ferramenta on-line que permite coletar dados específicos de cada estudante, professor, turma e escola do País, tanto das redes públicas (federal, estaduais e municipais) quanto da rede privada.

Em números

1.178.976 é o número de estudantes do Amazonas segundo o censo escolar de 2015, sendo 467.031 matriculados em escolas da rede estadual; 593.112 na rede municipal; 9.323 na federal e 109.510 na rede privada de ensino.

Blog: Gessinei M. de Freitas, secretário municipal de Educação de Canutama

"Temos 2.112 alunos matriculados na rede municipal de ensino. Temos 42 escolas, sendo 38 na zona rural. E há 2 escolas estaduais e uma faculdade particular em nossa cidade. Tivemos problemas na geração de dados do censo passado e estamos aguardando os relatórios gerenciais que serão repassados para nós ao final deste curso de capacitação dos profissionais da Educação. O principal motivo para estarmos aqui é obter os dados para fazermos as políticas voltadas para diminuir a erradicação e  a evasão do EJA (Educação de Jovens e Adultos). Queremos trazer novamente esses alunos e mantê-los em sala de aula. Queremos atingir as metas do PNE (Plano Nacional de Educação) em parceria com o PME (Plano Municipal de Educação). Geograficamente , Canutama é muito difícil de trabalhar devido as distâncias da sede para as comunidades. A parte rural é distante”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.