Publicidade
Cotidiano
IMIGRANTES

Amazonas vai receber 180 venezuelanos de Roraima enviados pelo Governo Federal

Atualmente, o grupo formado por homens solteiros com qualificação profissional e desejo de ficar no Brasil está em "quarentena", após ter sido vacinado contra doenças como sarampo e febre amarela 21/02/2018 às 20:46 - Atualizado em 22/02/2018 às 11:39
Show vene
Foto: Agência Brasil
Vitor Gavirati Manaus (AM)

O Governo Federal vai enviar no início de março para o Amazonas 180 refugiados venezuelanos que estão em Roraima. A decisão foi tomada em reunião do comitê federal de ajuda emergencial nesta quarta-feira (21), segundo o jornal Folha de São Paulo.

De acordo com a publicação, inicialmente, serão deslocados para o Estado homens solteiros, com qualificação profissional e que demonstraram vontade de permanecer no Brasil. A Folha atribui ao ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, a informação de que os refugiados serão enviados para locais com vagas em abrigos e postos de trabalho previamente acordados com autoridades locais.

Atualmente, os venezuelanos com perfil para redistribuição estão em período de quarentena após terem sido vacinados contra doenças como sarampo e febre amarela.

Procurada pela reportagem, a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Assistência Social do Amazonas (Seas) afirmou que a pasta não trata mais sobre os refugiados venezuelanos, atribuindo a responsabilidade à Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh). Por sua vez, a assessoria do órgão municipal afirmou que a Semmasdh ainda não foi comunicada da decisão e aguarda orientações do Governo Federal.

Ainda segundo a Folha, outros 350 refugiados venezuelanos serão redistribuídos de Roraima para São Paulo. No último dia 8, o jornal O Estado de São Paulo publicou que, segundo o ministro da Defesa, Raul Jungmann, a ideia do governo era distribuir cerca de mil venezuelanos em pelo menos quatro estados - Paraná e Mato Grosso do Sul, além de Amazonas e São Paulo.

Números

Para fugir da crise política e econômica na Venezuela, diariamente, imigrantes têm entrado no Brasil pela fronteira com Roraima. A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40 mil venezuelanos estejam na cidade. O número correspondente a mais de 10% da população local (cerca de 330 mil habitantes).

Publicidade
Publicidade