Publicidade
Cotidiano
Notícias

Amazonastur deve investir R$ 40 milhões para consolidar o turismo de eventos no AM

O recurso, segundo afirmou a presidente da Amazonastur, Oreni Braga, durante o Fórum Nacional de Turismo, realizado em São Paulo, será aplicado para iniciar as obras da segunda fase do Centro de Convenções Vasco Vasquez 24/09/2014 às 08:46
Show 1
Oreni Braga (dir) representou o Estado no Fórum Nacional de Turismo, realizado em São Paulo nesta semana
Juliana Geraldo* São Paulo

Até o final do ano, a Agência de Turismo do Estado do Amazonas (Amazonastur) pretende investir R$ 40 milhões para consolidar o turismo de eventos – realização de congressos, feiras e grandes fóruns - na capital amazonense. A modalidade é vista como alternativa para vencer a “ressaca” pós-Copa do Mundo, que afetou negativamente segmentos como o de hotelaria e o de atividades turísticas em Manaus.

O recurso, segundo afirmou nesta terça-feira (23) a presidente da Amazonastur, Oreni Braga, durante o Fórum Nacional de Turismo (Fornatur), realizado em São Paulo, será aplicado para iniciar as obras da segunda fase do Centro de Convenções Vasco Vasquez. O espaço será destinado a feiras, dentro da estratégia de estimular a economia por meio da realização dos eventos.

A expectativa é de que a obra, que passa atualmente por processo licitatório, seja iniciada até dezembro e entregue dentro do prazo de dois anos (final de 2016). A primeira etapa do Centro, entregue em julho deste ano, foi orçada em R$ 49 milhões e recebe, hoje, uma média de dois eventos por semana, segundo a Amazonastur.

“Essa segunda etapa vai ser destinada exclusivamente para receber as grandes exposições e promete alavancar esse nicho de turismo na região, ajudando diversas atividades a se recuperarem do efeito pós-copa”, argumentou Oreni.

Anteriormente, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Amazonas (ABIH-AM), Roberto Bulbol, já havia apontado uma queda de 90% de ocupação das Unidades Habitacionais (UHs) dos hotéis de Manaus durante a Copa para 14%, após o mundial. “O governo precisa encontrar outros meios para estimular o turismo, de forma a diminuirmos o número de vagas ociosas e movimentar o setor. Promover grandes eventos impulsionaria a vinda de executivos e grandes empresas e nos auxiliaria na retomada do ritmo de negócios”, disse, na ocasião.

Segundo semestre

Além do turismo de eventos, a presidente da Amazonastur destacou outras medidas que serão tomadas até o final do ano para estimular o turismo no Estado. Uma delas é a finalização do processo de sinalização turística em Manaus, orçado em R$ 5 milhões e que deve ser concluído até o próximo mês.

De acordo com Oreni Braga, a desoneração do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da aviação possibilitou a segunda medida que foi a criação de novas rotas, em processo de consolidação como o voos diretos Manaus-Salvador e Manaus-Lima.

Ela citou ainda a negociação em andamento com a empresa portuguesa Douro Azul que já iniciou a construção de navios para iniciar cruzeiros como Manaus – Iquitos (Peru) e Manaus – Belém até 2016,após as Olimpíadas.

“Além dessas ações, vamos continuar promovendo a marca “Amazonas” em eventos nacionais e internacionais, cobrando investimentos federais e firmando parcerias por mais infraestrutura e logística de forma a beneficiar as atividades do trade Turismo em todo o Estado. Não podemos perder o momento do Pós-Copa. Ao contrário, temos que aproveitar a ocasião para “vender” ainda mais o Amazonas como destino, principalmente após a imagem positiva que fizemos durante a Copa”, enfatizou.

Divulgação de destinos em debate

O Fórum Nacional de Turismo (Fonatur) discutiu questões relacionadas ao trade Turismo em todos os estados. Entre os assuntos, constaram cobranças de representantes de diversas localidades do País quanto a uma maior divulgação dos destinos brasileiros no exterior, por meio de participação em feiras internacionais. O maior apoio da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) também foi demandado.

Representando o Amazonas, a presidente da Amazonastur, Oreni Braga que também preside a Fornatur, fez um apelo ao Ministro do Turismo, Vinicius Lages, presente na região por mais investimentos por parte do Governo Federal para promover o turismo nos estados.

Segundo ela, o ritmo de recursos aplicados foi prejudicado no pós-copa, em especial, com a aproximação do fim do processo eleitoral.

* Repórter viajou a convite da Amazonastur

Publicidade
Publicidade