Publicidade
Cotidiano
Notícias

Amazonense está entre quatro brasileiros possíveis sucessores de Steve Jobs, diz revista Forbes

O fundador da Ingresse – dito maior site de vendas de ingressos do Brasil, Gabriel Benarrós foi apontado pela edição de outubro da revista Forbes como um destaque no setor de tecnologia no País 28/10/2013 às 23:09
Show 1
Apesar de se sentir honrado, o amazonense considera exagerada a comparação dele a Jobs
VINICIUS LEAL Manaus (AM)

Quatro brasileiros promissores no ramo da tecnologia no País foram destaque na edição de outubro da revista Forbes, veículo mundialmente conhecido por elaborar listas de pessoas ricas. Entre eles está o amazonense Gabriel Benarrós - fundador da Ingresse.com, maior site de vendas de ingressos para eventos do Brasil -, descrito com o mesmo perfil empreendedor de Steve Jobs, fundador da Apple, multinacional de softwares e eletrônicos.

Na matéria, a produção de tecnologia inovadora no Brasil é analisada e comparada ao “ecossistema” do Vale do Silício, região da Califórnia (EUA) onde se concentram as grandes empresas de tecnologia da informação, como Google e Facebook. Segundo a Forbes, vários fatores propícios ao sucesso no Vale do Silício não são realidade no Brasil e isso atrapalharia o crescimento de empreendedores no território brasileiro.

Além de Benarrós, a revista cita Roger Koppel, fundador da Ugreen – empresa que trabalha com cooperativas de reciclagem; João Castro Neves, presidente da Ambev na América Latina; e Wildiner Estainer Batista, estudante de engenharia da Unicamp destacado pela própria trajetória de vida: trabalhou como selecionador de grãos na infância e iniciou na construção civil como trabalhador na adolescência.

Os quatro brasileiros mencionados pela Forbes foram destaque por já terem sido, e alguns ainda são, bolsistas da Fundação Estudar, instituição sem fins lucrativos fundada em 1991 que apóia a formação de jovens brasileiros oferecendo-lhes bolsas de estudos nas melhores universidades do mundo e os incluindo em uma comunidade de talentos. O amazonense Gabriel Benarrós estudou na Universidade de Stanford (EUA).

Apesar de mencionar os talentos brasileiros no empreendedorismo inovador patrocinados pela Fundação Estudar, a revista Forbes alerta que “muito precisa ser mudado” para que o Brasil tenha “chances reais de se tornar o lar dos próximos Jobs ou Zuckerberg (Mark, fundador do Facebook)”. Investimento financeiro, diminuição de burocracia para criar empresas e melhores universidades são mudanças necessárias, afirmam.

“O Brasil é um País muito difícil. Tivemos que penar muito pra conseguir”, afirma Benarrós, que apesar de se sentir honrado considera exagerada a comparação dele a Jobs. Ao ACRITICA.COM, ele afirmou que as principais dificuldades enfrentadas para implantar e manter a Ingresse no Brasil foram as péssimas condições de infraestrutura em telefonia e Internet, além da burocracia para conseguir autorizações para a abertura de empresas e a escassez de profissionais qualificados.

“Ainda é muito difícil encontrar gente boa, que tenha formação profissional de qualidade e que queira trabalhar de maneira séria”, disse o amazonense, minutos antes de a ligação telefônica para São Paulo, onde fica a sede da sua empresa, ser interrompida por uma queda no sinal. “Você viu que a ligação caiu? Eu pensava que era só em Manaus, mas é uma coisa generalizada em todo o Brasil”, finaliza Benarrós. A empresa Ingresse possui faturamento de R$ 2,3 milhões, segundo a Forbes.

Publicidade
Publicidade