Publicidade
Cotidiano
Microcefalia e Zika

Amazonense mãe de jovens com microcefalia vai a Brasília debater a doença e a Zika

Viviane Lima, 35, mãe de duas adolescentes com microcefalia, vai representar mães de todo o Brasil durante audiência pública no dia 15 de junho na Câmara dos Deputados 02/06/2016 às 09:36 - Atualizado em 02/06/2016 às 09:37
Show 1090077
Além de relatar a própria experiência como mãe, Viviane também deve reunir relatos de mães de outras regiões do País (Foto: Jane Uchoa/Divulgação)
Luana Carvalho Manaus

“Zika vírus e a microcefalia” será tema de uma audiência pública no dia 15 de junho, na Câmara dos Deputados Federais, em Brasília. A amazonense Viviane Lima, 35, mãe de duas adolescentes com microcefalia, foi convidada para compor a mesa e representar as mães de todo o Brasil.

 A discussão proposta pela Comissão de Defesa do Direito das Pessoas com Deficiência, em parceria com a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, de Seguridade Social e Família e Secretaria da Mulher, considerou a necessidade de dar visibilidade às mães e crianças com  deficiência, uma vez que, em novembro do ano passado, o Ministério da Saúde declarou emergência sanitária nacional em razão do número crescentes de casos de microcefalia.

No mês passado, o órgão confirmou 1.384 casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso, sugestivos de infecção congênita em todo o País. Em meio à epidemia, Viviane criou um grupo no WhatsApp para discutir e tiras dúvidas sobre a patologia, que hoje conta com mais de 700 mães de todo o Brasil, compartilhando experiências e informações.

Além dela, participarão da audiência um representande do Ministério da Saúde, do Ministério Público, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), um terapeuta ocupacional e um neurologista. “A audiência reunirá profissionais para esclarecer as dúvidas sobre microcefalia. Mminha participação será para mostrar a realidade e dificuldades dessas mães de todo o Brasil. É a primeira e uma oportunidade única de debater e falar sobre o assunto diante de representantes políticos, que podem representar alguma esperança”, contou.

Relato de experiência

Além de relatar a própria experiência, como mãe das jovens Ana Victória e Maria Luiza, Viviane também está reunindo relatos de  outras regiões. “Temos mães na Bahia que acordam quatro horas da manhã para pegar balsa, todos os dias, para levar a filha para a terapia. Sendo que as terapias acontecem de três a quatro vezes por semana. São mães que não possuem boas condições financeiras e todo esse custo sai do bolso delas”, comentou.

Ela alertará também para a dificuldade que as mães sofrem para dar entrada no Benefício de Prestação Continuada (BPC) para pessoas deficientes. “Foi divulgado em mídia, pelo Governo Federal, que as mães de crianças com microcefalia teriam facilidade para conseguirem esse benefício, mas até agora inúmeras mães que estão com os laudos, estão tendo o benefício negado. As dificuldades diárias são muitas, e essa audiência é um pontapé inicial para darmos mais atenção ao assunto”.

Como o do grupo do Amazonas também reúne  mães de crianças com outras deficiências, Viviane contou que também aproveitará para citar outras patologias.

Outras mães

Outras mães também estão se mobilizando para comparecerem à audiência que será aberta ao público, no dia 15 de junho,às 15h (horário de Brasília) no Plenário 7 da Câmara dos Deputados.   O grupo ‘Mães de Anjos’, idealizado por Viviane Lima, está no Facebook com o nome “Eu tenho um ser especial”.

Publicidade
Publicidade