Publicidade
Cotidiano
GOVERNADOR ELEITO

Amazonino pede no TCE-AM cancelamento de convênios feitos por David Almeida

Em seu primeiro ato após ser eleito, Amazonino pediu o cancelamento de convênios, processos licitatórios e cancelamento de pagamentos que não sejam considerados básicos 28/08/2017 às 12:44 - Atualizado em 28/08/2017 às 14:30
Show  ndice
(Foto: Divulgação/TCE-AM)
Camila Pereira

Após visita ao Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), onde se reuniu com conselheiros e o presidente da corte de contas, o governador-eleito, Amazonino Mendes (PDT), pediu o cancelamento de convênios, processos licitatórios e cancelamento de pagamentos que não sejam considerados básicos, feitos pelo governador interino.

Segundo Mendes, há pagamentos na ordem de R$ 600 milhões que são questionáveis. “O estado já muito atingido o limite prudencial. Foram muitos pagamentos voluntários, não essenciais. Pagamento de precatório, pagamentos inapropriados que não são básicos, pedi um gesto, um ato, uma ação desta corte”, afirmou o governador recém-eleito.

O Ministério Público de Contas (MPC) deve recomendar, amanhã, que o governador interino David Almeida (PSD) se restrinja a pagar aquilo que for essencial para o funcionamento da máquina pública.

A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) afirmou em nota que só se pronunciará após receber alguma notificação do TCE-AM.

Publicidade
Publicidade