Publicidade
Cotidiano
Notícias

Amigos saem para pescar e sofrem suposto ataque no Furo do Paracuúba, no Amazonas

As vítimas foram atacadas propositalmente enquanto pescavam, perto do município de Iranduba. Um dos pescadores conseguiu fugir, mas dois seguem desaparecidas. Afogamentos também foram registrados pelos Bombeiros  02/01/2015 às 14:43
Show 1
Clóvis conta que não conseguiu ver os suspeitos, já que era noite. No desespero, ele pensou apenas em se salvar
perla soares e gabriele bessa Manaus (AM)

Três amigos foram atacados, enquanto pescavam, por homens não identificados, citados como “piratas do rio”, no Furo do Paracuúba, próximo ao município de Iranduba, a 27 km da capital Manaus. É o que conta Clóvis Salon, de 50 anos, que junto com Manoel Silva, 48, e Wilson Augusto, 40, mora na rua Santa Luzia do bairro São Geraldo, na Zona Centro-Sul da capital. Eles saíram para pescar no domingo (28), por volta das 15h, e não voltaram para casa como de costume.

Em conversa com a reportagem, Clóvis, que foi a única vítima que conseguiu escapar de um suposto ataque, revelou que ele e os dois amigos sempre costumavam pescar no local tranquilamente e que, no último domingo, por volta das 19h30, quando ainda estavam pescando, sentados em uma voadeira, uma lancha surgiu repentinamente e emparelhou-se com a embarcação propositalmente.   

Na hora da batida, Clóvis contou que pensou se tratar apenas um acidente comum. No entanto, minutos depois, os homens bateram pela segunda no meio da embarcação, jogando os três pescadores para dentro d’água. Já no rio, a voadeira avançou em sua direção por duas vezes. Clóvis mergulhou e conseguiu nadar até a margem, perdendo de vista os dois amigos. Ainda segundo ele, era possível ouvir barulhos de batidas, no entanto ele não sabe dizer ao certo do que se tratava. 

Clóvis conta, ainda, que adentrou a mata e passou a noite andando, na tentativa de pedir ajuda. Ao chegar do outro lado do rio, às 7h de segunda-feira (29), a vítima conseguiu ajuda e registrou o caso na delegacia de Iranduba. Os outros dois continuam desaparecidos. O Corpo de Bombeiros já foi acionado e continua, pelo quinto dia consecutivo, realizando buscas pelas outras duas vítimas na região.

Publicidade
Publicidade