Publicidade
Cotidiano
Notícias

Apeam vai acionar MP-AM contra montagens sobre a associação

Falsa notícia que usa layout do portal acritica.com causou alvoroço na corporação. Nela, o Gerson Feitosa teria dito que sairá candidato a vereador em 2016 porque 'a carreira de policial não vale mais a pena' 23/06/2015 às 14:52
Show 1
Presidente da Apeam mostra a falsa notícia e diz que não tem interesse em se candidatar a vereador
acritica.com Manaus (AM)

A Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam) vai ingressar com uma ação no Ministério Público do Estado (MP-AM) contra falsas notícias publicadas a respeito da entidade. A informação foi dada pelo presidente da entidade, soldado Gerson Feitosa, que esteve nesta segunda-feira (22) na sede de A CRÍTICA, com outros representantes da associação.

Gerson mostrou uma montagem, que começou a circular na semana passada entre os policiais. A falsa publicação usa o layout do portal acritica.com e afirma que o soldado disse que será candidato a vereador. A montagem, segundo ele, causou impacto no meio policial, tendo alcançado por meio do WhatsApp um público de pelo menos 20 mil pessoas.

"Essa montagem preocupou a gente sobretudo por conta a visibilidade e credibilidade que tem o grupo A CRÍTICA. Essa falsa matéria impactou a classe dos policiais porque muitos foram pegos de surpresa e alguns, por não checarem no site, acreditaram na falsa informação", disse.

O presidente da Apeam afirmou que nunca manifestou interesse em ser candidato a vereador. "Não tenho nenhum interesse de fazer isso. Meu interesse é de representar a classe como venho fazendo há mais de dois anos, desde a fundação da Apeam", afirmou.

Para Gerson Feitosa, esse tipo de montagem é usada para fins políticos. "Essas coisas afetam a imagem da associação . A montagem foi feita visivelmente feita para atender interesses políticos", afirmou. Segundo policial, a intenção política por trás disso é tirar a credibilidade da instituição, fazer a associação perder força e punir os seus membros.

"É uma tentativa de linchamento moral contra a instituição que luta pelos interesses dos praças", completou.

Publicidade
Publicidade