Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
1.png
publicidade
publicidade

Notícias

Apesar de produzir 15 milhões de televisores, 6,6% não possuía o aparelho em casa em 2013

No Estado que produz 15 milhões de televisores por ano para abastecer o mercado brasileiro, 6,6% dos domicílios ainda não possuem o equipamento. Os computadores ligados à Internet estão em apenas 28% dos lares amazonenses


29/04/2015 às 20:36

O Polo Industrial de Manaus (PIM) produz, em média, 15 milhões de televisores anualmente, mas 6,6% dos domicílios do Amazonas não tinham  televisão em 2013, revelou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã de ontem.

Os dados mostram ainda que 45,2% dos domicílios do Amazonas não possuíam rádios e apenas 37,4% tinham computadores, sendo que somente 28,4% eram ligados à Internet. Dos sete Estados pesquisados, o Amazonas só ficou à frente do Pará (7,5% de domicílios sem televisão), Acre (com 9,1%) e Roraima (7,6% residências sem TV) em relação ao número de domicílios com televisores.

A PNAD é realizada por meio de uma amostra probabilística de domicílios para chegar ao número total, onde no Amazonas foram pesquisados 3.786 mil domicílios e  13.023 mil pessoas. Ao todo, a pesquisa entrevistou   362.555 mil pessoas e 148.697 mil unidades domiciliares em todo o Brasil.

 Sinal de TV digital

Entre as regiões do Brasil, a Região Norte apresentou o maior percentual de domicílios sem recepção de sinal digital de televisão aberta, antena parabólica ou televisão por assinatura (34,3%).

Porém, entre os Estados das Regiões Norte, Nordeste e Sul, o Amazonas possuía o maior percentual de domicílios com recepção de sinal digital de televisão aberta, 37,8%.  O Estado ficou acima da média nacional, que foi de 31,2%. O menor percentual foi registrado na Região Sul (26,2%).

Considerando-se os domicílios com televisão, o Distrito Federal (49,3%), São Paulo (43,0%) e Rio de Janeiro (40,3%) apresentaram os maiores percentuais de recepção de sinal digital de televisão aberta, enquanto Alagoas (13,7%), Maranhão (13,1%) e Tocantins (11,8%), os menores.

Em 2013, o País tinha 65,1 milhões de domicílios particulares    permanentes, dos quais, 63,3 milhões (97,2%) possuíam televisão. A televisão por assinatura estava presente em 29,5% (18,7 milhões) dos domicílios com televisão, enquanto 70,5% (44,6 milhões) não dispunham desse serviço. O sinal digital de televisão aberta estava presente em 31,2% (19,7 milhões) dos domicílios, frente a 64,1% (40,5 milhões) sem essa cobertura.

Maioria se conecta pelo celular

A pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) apontou que a região Norte apresentou o maior percentual de domicílios que utilizavam o telefone móvel para acesso à Internet (75,4%), superando os usuários que navegam através do microcomputador (64,8%), em 2013.

No Amazonas, 39,6% dos domicílios utilizam Internet apenas por telefone móvel ou tablet, enquanto 11,1% utilizam por meio de microcomputadores.

A pesquisa mostrou, ainda, que, no Amazonas, 81,8% dos domicílios utilizavam a Internet de banda larga móvel, que fornece acesso de alta velocidade e sem fio a dispositivos portáteis, superando o uso de banda larga fixa (51,7%).

Em 2013, apenas 2,3% (725 mil) dos domicílios de todo o Brasil com Internet possuíam exclusivamente a conexão discada. A banda larga estava presente em 97,7% (30,5 milhões), sendo que, destes, 77,1% (24,1 milhões) conectavam-se em banda larga fixa e 43,5% (13,6 milhões) em banda larga móvel. Em 23,0% (7,2 milhões) dos domicílios existiam as duas modalidades de conexão.

A utilização do microcomputador como único equipamento para acesso à Internet prevalece na maioria dos domicílios brasileiros.

Em números

15 mi é a média do total de televisores que são  produzidos pelo Polo Industrial de Manaus (PIM) anualmente, mas 6,6% dos domicílios do Amazonas não tinham  televisão em 2013, revelou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).   Os dados mostram  que 45,2% dos domicílios do Amazonas não possuíam rádios e apenas 37,4% tinham computadores.

362.555 é o número de pessoas entrevistadas pelo  Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) é realizada por meio de uma amostra probabilística de domicílios para chegar ao número total, onde no Amazonas foram pesquisados 3.786 mil domicílios e  13.023 mil pessoas.


publicidade
publicidade
Ovos de Páscoa estão 40% mais caros do que em 2018, aponta pesquisa da FGV
PC prende segunda suspeita de furtar TVs em comércio na av. Torquato Tapajós
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.