Publicidade
Cotidiano
TECNOLOGIA

Aplicativo facilitará viagens pela BR-319 ao mapear trechos críticos da rodovia

A tecnologia está disponível em fase de teste, para o sistema operacional Android. A previsão é que no início do próximo mês a versão oficial seja lançada 13/10/2017 às 05:00 - Atualizado em 13/10/2017 às 07:53
Show winnet
A novidade foi apresentada pela Associação dos Amigos e Defensores da BR-319: Um Direito Nosso (Foto: Winnetou Almeida)
Silane Souza Manaus (AM)

Um aplicativo de celular pretende ajudar as pessoas que trafegam pela rodovia BR-319, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO), a identificar os pontos de apoio e de problemas encontrados ao longo da estrada, que conta com uma precária condição de trafegabilidade em vários trechos.

A novidade foi apresentada pela Associação dos Amigos e Defensores da BR-319: Um Direito Nosso, durante a última reunião do Fórum de Discussão Permanente sobre o Processo de Reabertura da BR-319, realizada nessa semana, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Amazonas (OAB/AM).

O aplicativo Angel Voice POI (AVPOI BR-319) está disponível, em fase de teste, para o sistema operacional Android. A previsão é que no início do próximo mês a versão oficial seja lançada, conforme afirmou o presidente da Associação dos Amigos e Defensores da BR-319: Um Direito Nosso, André Marsílio, ao A CRÍTICA.

“Essa versão teste é para as pessoas terem conhecimento de como o aplicativo está funcionando, se tem algum problema com a localização de POI (ponto de interesse), caso o APP avise que a pessoa está passando por ele, mas o GPS mostra que ele fica a 30, 50 metros depois, enfim, para que a gente possa fazer os ajustes”, disse.

Colaboração e apoios

De acordo com André Marsílio, a ideia é que o app seja um mapa colaborativo, que sempre será atualizado com os principais pontos da rodovia e seus respectivos problemas. Os próprios viajantes podem ajudar a identificar essas localizações. “Conforme forem encontrando dificuldades e problemas podem cadastrar a área no GPS e nos mandar pelos grupos no WhatsApp ou Facebook que vamos cadastrá-las. O app será mais uma ferramenta de auxílio para quem viaja e trafega pela BR-319”.

Atualmente, há 90 pontos de interesse cadastrados. O presidente da associação explicou que todos são de apoio e não há nenhum de problema de maior relevância. “A Bola da Suframa, no início da BR-319 é um ponto de apoio, o Porto da Ceasa é outro, assim como o Porto da Gutierrez, as pontes ao longo da rodovia, as comunidades e os locais que a pessoa pode parar para fazer uma refeição, entre outros”.

Facilidades

As informações do AVPOI BR-319 são faladas pelo sistema TTS (Text to Speech), nativo do sistema Android, conforme a pessoa vai se aproximando e entra no raio de alerta do ponto, não sendo necessário assim ela tirar sua atenção do volante. O sistema trabalha de forma automática, não precisa configurar nada, basta ligar e começar a usar. E o que é ainda melhor, funciona sem acesso a Internet, perfeito para uso em situações onde não existe sinal de celular, como ao longo da BR-319.

Chuvas preocupam

Atualmente, a BR-319 está com a manutenção em dia, de acordo com informações de motoristas que trafegam pela rodovia. Contudo, as chuvas que têm caído antecipadamente naquela região causam preocupação, visto que 405 quilômetros do famoso “trecho do meio” ainda não é pavimentado.

Com isso, os motoristas têm que ter muita atenção e cuidado nesse trecho que fica entre os quilômetros 250 e 655 da BR-319, que  aguarda licença ambiental para ser pavimentado.

“A gente espera que com a manutenção que vem sendo feita não tenha tantos atoleiros como teve no período do inverno passado quando houve diversos piscinões de lama que dificultaram muito a trafegabilidade”, disse o presidente da Associação dos Amigos e Defensores da BR-319: Um Direito Nosso, André Marsílio.

Dois anos de associação

A ‘Associação dos Amigos e Defensores da BR-319: Um Direito Nosso’ surgiu em 2015 por meio de um grupo de pessoas que possuíam o interesse em comum de cobrar do poder público e dos representantes políticos ações que viabilizassem a total pavimentação e a manutenção da rodovia, bem como a preservação da floresta.

Fórum amplia discussões

No dia 21 de novembro deste ano, em Manicoré (a 332 quilômetros da capital amazonense), será realizada a 4ª reunião do Fórum de Discussão Permanente sobre o Processo de Reabertura da BR-319, que reúne mensalmente mais de 20 entidades, entre instituições públicas e privadas, associações e sociedade civil organizada, para discutir e gerar propostas relacionadas ao acompanhamento das obras e às ações de governança da BR-319.

O último encontro do grupo aconteceu no dia 9 deste mês, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Amazonas (OAB/AM). O presidente da entidade, Marco Aurélio Choy, ressaltou a responsabilidade de agregar o fórum, visto que a instituição tem papel ativo na reabertura da estrada. “Nós sempre estivemos empenhados em despertar a atenção pela necessidade de garantir o direito de ir e vir do cidadão através da plena utilização da BR, e por isso para nós é uma honra poder contribuir com essa discussão”, disse.

O procurador da República Rafael da Silva Rocha, coordenador da reunião, afirmou que não só a sociedade civil, mas instituições que podem auxiliar quanto a reabertura da BR 319 são convidadas a participarem da atividade. “Nosso principal objetivo quanto Fórum é que toda a estrada seja pavimentada, e tenha uma capacidade de tráfego muito maior, porém dando a atenção a sustentabilidade e principalmente sendo responsáveis com as pessoas que habitam e que fazem parte do trajeto da BR”.

Para o presidente da Associação dos Amigos e Defensores da BR-319: Um Direito Nosso, André Marsílio, a criação do Fórum, em julho deste ano por intermédio do Ministério Público Federal (MPF-AM), foi um importante passo para a reabertura da BR-319. “Antes esse diálogo entre os órgãos não existia. Cada um dizia uma coisa. Agora estão todos juntos tentando aparar as arestas e resolver o problema da pavimentação da rodovia. Isso é um grande avanço”.

Publicidade
Publicidade