Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
POLÍTICA

Após derrota no Senado, Bolsonaro pede que Câmara salve decreto de armas

Os senadores decidiram por 47 votos a favor e 28 contrários aprovar projeto que susta o polêmico decreto presidencial, e a matéria vai agora para a Câmara dos Deputados



Capturar_66E5C1F9-5762-45F1-B27B-858276B0B250.JPG Foto: REUTERS/Paulo Whitaker
19/06/2019 às 12:25

O presidente Jair Bolsonaro lamentou na noite de terça-feira a decisão do Senado de derrubar o decreto editado por ele para flexibilizar as regras de posse e porte de armas, e pediu que a Câmara salve a medida que foi uma das suas principais bandeiras de campanha.

“Por 47 a 28, o Senado derrota nosso Decreto sobre CACs e Posse de Armas de Fogo. Esperamos que a Câmara não siga o Senado, mantendo a validade do nosso Decreto, respeitando o Referendo de 2005 e o legítimo direito à defesa”, disse Bolsonaro em publicação no Twitter. A sigla CAC refere-se às categorias Caçador, Atirador, Colecionador de armas.

“Quem deixa de ter acesso a armas de fogo com leis de desarmamento, o cidadão que quer apenas se proteger ou o criminoso, que, por definição, não segue as leis? O direito à legítima defesa não pode continuar sendo violado! Nem todo mundo possui condição de ter seguranças armados”, acrescentou.

Os senadores decidiram por 47 votos a favor e 28 contrários aprovar projeto que susta o polêmico decreto, e a matéria vai agora para a Câmara dos Deputados. Os senadores do Amazonas votaram por unanimidade pela derrubada do decreto.

O governo trabalhou pela manutenção dos efeitos do decreto, que ganhou holofotes nos últimos dias. Desde o fim de semana, Bolsonaro tem utilizado seu perfil do Twitter e dado várias declarações a favor do decreto.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.