Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020
POLÊMICA

Após discurso com teor nazista, Bolsonaro irá exonerar secretário de Cultura, diz jornal

Roberto Alvim, que é secretário especial de Cultura do Governo Federal, usou termos presentes no discurso do ministro de Hitler durante a Alemanha nazista. Alvim nega e afirma que tudo não passou de "coincidência retórica"



xalvim-goebbels.jpg.pagespeed.ic.CkJo-ydhB5_094062BF-F165-446E-9BF0-8CB331AEA148.jpg Foto: Reprodução/Facebook
17/01/2020 às 11:25

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) deve exonerar o secretário especial de Cultura, Roberto Alvim, após ele citar durante um vídeo divulgado nas redes sociais, uma declaração que faz referência ao nazismo. As informação são do jornal O Estado De São Paulo.

Conforme informações apuradas pelo jornal, pessoas próximas de Bolsonaro afirmam que a situação de Alvim ficou "insustentável". O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, já foi comunicado da decisão, de acordo com a apuração do periódico paulista.



Alvim copiou a citação do ministro da propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels, em um vídeo publicado nessa quinta-feira (16). Durante o pronunciamento do secretario especial de Cultura, órgão ligado ao Governo Federal, Alvim divulgou o Prêmio Nacional das Artes, no valor total de mais de R$ 20 milhões.

Maia pede demissão de Alvim

Após a repercussão do vídeo, políticos se pronunciaram sobre o assunto. “O secretário da Cultura passou de todos os limites. É inaceitável. O governo brasileiro deveria afastá-lo urgente do cargo”, afirmou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ).


O que disse Goebbels

Segundo o livro "Goebbels: a Biography", de Peter Longerich, o líder nazista afirmou: "A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada".

O que disse Roberto Alvim

Nó vídeo divulgado pela Secretaria Especial da Cultura por meio do Twitter, Alvim afirma: "A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada", discursou Alvim no vídeo postado nas redes sociais.

 

Além de menção ao discurso de Goebbels, outra referência ao regime de Adolf Hitler é a música utilizada no pronunciamento.  A ópera "Lohengrin", de Richard Wagner, compositor alemão celebrado pelo líder nazista, e que teve larga influência na ideologia de Hitler.

Roberto Alvim utilizou suas redes sociais para se defender e classificou as semelhanças de seu discurso com o de Goebbels como uma "coincidência retórica", mas defendeu que "a frase em si é perfeita".

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.