Publicidade
Cotidiano
Chapa 1

Após eleição tumultuada, chapa 1 toma posse como nova gestão do DCE da Ufam

A chapa 1, eleita com 625 votos, divulgou suas propostas de gestão. Na semana passada, durante a apuração do pleito, uma pessoa armada roubou uma urna com votos, houve confusão e a polícia foi acionada 19/08/2016 às 13:56 - Atualizado em 19/08/2016 às 14:13
Show 05825ebd d038 4f16 ac01 96b686c4c42a
A posse ocorreu na tarde de ontem no auditório Rio Solimões, no setor Norte da Ufam (Divulgação)
Vinicius Leal Manaus (AM)

Tomaram posse na tarde de ontem, quinta-feira (18), em Manaus, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), membros da nova gestão do Diretório Central dos Estudantes (DCE), a chapa 1 VirAção, eleita com 625 votos após uma apuração tumultuada ocorrida na semana passada. A posse ocorreu no auditório Rio Solimões, no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), setor Norte, com a presença de professores e alunos.

São 26 estudantes membros do colegiado que compõe o DCE: Kennedy Costa, Priscila Carolina, Daniel Ramos, Cecília Ferreira, Laís Lopes, Christopher Rocha, Talita Loures, Luiz Felipe Henrique, Marcelo Meirelles, Dhyenne Vieira, Michele Carreira, Valéria Rodrigues, Bruno Frota, Alda, Azlin Mota, Angélica Pires, João Victor Belchior, Paulo Amaral, Yasmin Ribeiro Fontinele, Caroline Villalba, Thayza Miranda, Dimerson Coelho, Thayse Pinto da Silva, Luciedry Matheus, Mayarah Santos e Ayrton Teles.

O grupo vai dirigir o DCE pelo próximo um ano. Entre as principais propostas da nova gestão estão realizar um congresso para atualizar o estatuto do diretório, que vai completar 10 anos em 2017. “Nosso estatuto do DCE está desatualizado. É de 2007. Existem unidades que não existiam naquela época, como o Instituto de Computação e o de Psicologia”, explica Dhyenne Vieira, membro da nova diretoria.

Outra pauta deles é levar o DCE para mais perto dos estudantes do interior e trabalhar em prol da assistência estudantil como orçamento federal, bolsas de estudo, transporte, estrutura física e melhorias ao restaurante universitário. “Queremos interiorizar o DCE, fazer com que ele chegue às unidades fora da capital. Em tese, o DCE representa todos os estudantes, mas o pessoal do interior não pode votar (para eleger nova gestão) e nem se eleger”.

“Nosso terceiro ponto é debater os rumos da universidade. Hoje a gente vive um momento que é anunciado a nível nacional, pelo próprio MEC (Ministério da Educação), o corte do orçamento das universidades federais. E isso vai chegar à Ufam, vai afetar os estudantes”, completou Dhieny. Veja abaixo o banner com mais informações sobre as propostas da nova gestão do DCE.

Votação e urna roubada

A apuração que elegeu a chapa 1 foi marcada por uma confusão na última quarta-feira: uma pessoa armada com revólver entrou em uma das salas de votação e roubou uma urna com votos. O homem, identificado como apoiador da chapa 10, foi apreendido e a urna foi descartada, assim como os votos nela anulados. “Uma eleição marcada por muitas confusões, mas que no final foi respeitada a decisão dos estudantes”, disse Dhyenne Vieira, membro da nova diretoria do DCE.

Devido ao incidente, a chapa 10 (Mudança não cala) foi impugnada e os 241 votos dela não valeram. As outras chapas receberam 327 votos (chapa 31, Liberta) e 156 votos (chapa 50, Nós os estudantes). Ao todo, 1.587 alunos votaram no pleito, dos mais de 15 mil alunos que estudam na universidade. Uma investigação foi aberta para apurar a posse da arma no ambiente universitário e o roubo da urna.

Publicidade
Publicidade