Publicidade
Cotidiano
Notícias

Após fugir de Manaus, mentora do assalto ao restaurante 'Xavier' é presa em Porto Velho (RO)

A mulher confessou ser a mentora do assalto que acabou vitimando pai e filho, donos do restaurante. Após a Justiça conceder a liberdade dela, a acusada fugiu de Manaus 25/10/2013 às 18:04
Show 1
Policiais do 5º DP de Porto Velho efetuaram a prisão de Tatiane que estava escondida na casa de familiares
VINICIUS LEAL Manaus (AM)

Após se manter foragida da Justiça do Amazonas durante cerca de três semanas, Tatiane Dutra de Almeida, 27, acusada de arquitetar o assalto ao restaurante “Xavier Rei do Carneiro” em Manaus, acabou capturada por policiais civis da 5ª Delegacia de Polícia do Estado de Rondônia no início da tarde desta sexta-feira (25), na cidade de Porto Velho, por volta das 12h.

Após denúncias feitas por moradores, os policiais do 5º DP Luciano e Helder conseguiram cumprir o mandado de prisão de Tatiane e efetuaram a prisão dela na casa de familiares, na rua Daniela, no bairro Aponiã, em Porto Velho.  Ela está presa na Central de Flagrantes da Polícia Civil de Rondônia e deverá ser encaminhada ao presídio feminino de Porto Velho, onde ficará à disposição da Justiça.


Latrocínio

Tatiane confessou ser a mentora do assalto ao restaurante “Xavier Rei do Carneiro”, ocorrido no último dia 30 de setembro, no conjunto Santos Dumont, bairro da Paz, na Zona Centro-Oeste de Manaus. Na ocasião cinco pessoas invadiram o estabelecimento, anunciaram o assalto e efetuaram disparos de arma de fogo contra pai e filho donos do local.

Francisco Xavier Castro Júnior, 53, e o filho dele, o dentista Diego Maciel Almeida Castro, 26, não resistiram aos ferimentos e acabaram morrendo. As cinco pessoas envolvidas no crime já foram presas: Eliazefe de Souza Feitosa, 19, Manuel Riller Macedo da Silva, 19, Wallace Martins dos Santos, 23, Diego da Silva Almeida, 25, e Meire Jane Ferreira de Souza, 24. Tatiane era a única ainda foragida.

Mandado de prisão

Tatiane foi vista pela última vez em Manaus na sala de embarque do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes no dia 7 de outubro de 2013. Ela conseguiu escapar após a desembargadora Maria do Socorro Guedes negar o pedido de mandado de prisão dela e conceder a liberdade da mulher por, segundo a magistrada, não ter havido provas da participação de Tatiane no crime.

Após a suspeita de fuga de Tatiane, o desembargador Djalma Martins, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), tornou sem efeito a liminar proferida por Socorro Guedes e emitiu o mandado de prisão preventiva da mulher, que então foi considerada procurada pela polícia do Amazonas.

Publicidade
Publicidade