Publicidade
Cotidiano
Notícias

Após passar mal e ser transferido para hospital, Genoino ganha do STF prisão domiciliar provisória

O presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, concedeu o benefício ao deputado federal. Segundo a defesa de Genoino, a suspeita é que o parlamentar tenha sofrido um enfarto 21/11/2013 às 16:08
Show 1
O Instituto de Cardiologia confirmou que o deputado foi internado no início da tarde
Agência Brasil Brasília (DF)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, concedeu nesta quinta-feira (21) prisão domiciliar provisória para que ex-presidente do PT e deputado federal José Genoino (SP) possa fazer tratamento médico. Genoino passou mal na Penitenciária da Papuda nesta quinta, em Brasília, e foi transferido para o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (IC-DF), no Hospital das Forças Armadas (HFA).

De acordo com a decisão, Genoino poderá cumprir a pena em regime domiciliar ou hospitalar até que ele seja submetido a uma perícia médica. No início da tarde, Barbosa determinou que uma junta médica formada por, no mínimo, três médicos, produza um laudo oficial sobre o estado de saúde de Genoino. Os médicos serão indicados pelos diretores do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

No despacho, Barbosa afirma que concedeu a prisão domiciliar ou hospitalar provisória a Genoino após ser informado pelo juiz Ademar de Vasconcelos, da Vara Execuções Penais do Distrito Federal (VEP), por telefone, sobre a internação de Genoino nesta tarde. Segundo Barbosa, a informação repassada contradiz documento da VEP enviado ao STF na quarta (20) sobre o estado de saúde do parlamentar.

Possível enfarto

De acordo com o advogado de Genoino, Luiz Fernando Pacheco, a suspeita é que José Genoino tenha sofrido um enfarto. O IC-DF confirmou que o deputado foi internado no início da tarde, mas não há previsão de boletim médico.

Segundo a defesa de Genoino, desde que ele foi transferido para Brasília, no sábado (16), o parlamentar tem passado mal. Segundo Pacheco, o estado de saúde do parlamentar “é bastante delicado e inspira cuidados”. Para ele, a conclusão consta do laudo médico liberado quarta-feira (20), pelo Instituto Médico-Legal (IML), da Polícia Civil do Distrito Federal.

De acordo com o advogado, o laudo do IML descreve a cirurgia cardíaca a que Genoino foi submetido quando retirou parte da artéria aorta. Também estão descritas no documento as recomendações de uso de uma série de remédios, como anticoagulantes. O documento atesta que ele tem cuspido sangue nos últimos dias. Segundo a defesa, Genoino não tem condições de cumprir a pena de seis anos e 11 meses em uma penitenciária.

Publicidade
Publicidade