Publicidade
Cotidiano
Notícias

Após protesto, membros da SSP participam de reunião em Rio Preto da Eva

Alta cúpula da Secretaria de Segurança Pública participou de reunião com promotora do município de Rio Preto da Eva para debaterem sobre os protestos violentos que marcaram o início desta semana, quando a população bloqueou a AM-010 e queimaram dois ônibus 15/10/2013 às 20:41
Show 1
Ônibus queimados em Rio Preto da Eva
acritica.com* Manaus

Membros da cúpula da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP) participaram de uma reunião nesta terça-feira (15) com a promotora de Rio Preto da Eva (a 80 quilômetros de Manaus). Eles trataram sobre o clima de instabilidade política e de segurança depois das manifestações que ocorreram nessa segunda-feira (14) e na madrugada desta terça, onde dois ônibus escolares foram incendiados no pátio da Secretaria de Educação.

A reunião começou por volta das 10h50 no Fórum de Justiça do município e teve a presença do secretário de Segurança Pública do Estado do Amazonas, coronel PM Paulo Roberto Vital, o comandante da Polícia Militar, coronel Almir David, o delegado geral da Polícia Civil, Josué Rocha, a promotora Cristiane Corrêa, o delegado do município, Virgílio Mendonça, além  do prefeito Luiz Ricardo Moura Chagas (PRP) e oito vereadores opositores.

De acordo com o secretário de segurança, o órgão irá apurar se a administração da prefeitura cometeu irregularidades. "A secretaria se dedicará nessas investigações, porém temos que separar divergências políticas com a ordem pública", afirmou. A promotora Cristiane Correa também  apresentou medidas para solucionar a instabilidade política.

Comandante Almir David defende postura tomada pela Polícia Militar

“A procuradoria de justiça enviará como auxílio mais dois promotores a fim de montar um grupo somente voltado para a situação de Rio Preto da Eva. O Ministério Público Federal também irá analisar fotos e vídeos enviados por moradores para constatar se ouve ou não excesso por parte dos policiais”.  

Segundo Almir David, 50 policiais foram deslocados ao município durante a manifestação desta segunda-feira (14). O comandante negou excesso por parte da corporação e conta que após chegarem ao local, foram hostilizados pelos integrantes do protesto. “Fomos recebidos com paus e pedras, a PM apenas reagiu conforme o procedimento”, afirma.

O delegado geral da Polícia Civil, Josué Rocha, informou que 20 pessoas já foram identificadas por promoverem tumulto na manifestação e afirmou que irá investigar outros indivíduos que cometeram atos de vandalismo. O delegado do município acredita que o protesto foi arquitetado pela oposição. “Pelo que vimos a manifestação não tinha nenhum caráter reivindicatório, não tinha nenhum clamor popular. Tudo foi planejado pela oposição política”. 

PMs recebidos a tiros

De acordo com a SSP, conforme nota divulgada à imprensa, o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) foi instalado no município pelo órgão estadual já nesta terça-feira. A nota diz, ainda, que quando os policiais militares chegaram ao município, foram recebidos com hostilidade, principalmente quando tentaram retirar o material incendiado que obstruia a rodovia estadual.

“Os manifestantes armaram três linhas de ataque contra a polícia. Na primeira, pedras e paus eram atirados; mais atrás, uma linha com muitos rojões de fogos de artifício; e na última fileira, vândalos com arma de fogo”, afirmou o comandante de Policiamento do Interior, coronel PM Rommel Pereira.

O secretário de Segurança Pública, coronel PM Paulo Roberto Vital, disse que até disparos de arma de fogo foram feitos contra o helicóptero do sistema que participava da ação. Segundo ele, dois disparos atingiram a aeronave, que está sendo periciada pela seguradora. “Além disso, o escudo balístico da tropa de choque ficou com um projétil encravado e que agora também está sendo periciado”, destacou.

Ficou acertado na reunião que, além do reforço no policiamento, haverá investigações para identificar os vândalos infiltrados na manifestação de ontem para hoje. Sete pessoas foram detidas e apresentadas na delegacia como participantes do violento movimento.

“Estamos aqui para garantir a manutenção da ordem e não vamos permitir qualquer ato de vandalismo e de atentado contra a vida de ninguém. Incentivamos quem quer fazer seu protesto pacificamente, respeitando o direito alheio. Quem assim não proceder, a polícia vai agir com rigor, reagindo a qualquer ação violenta, podem ter certeza”, acrescentou o coronel Vital.

Viaturas da Rocam vão permanecer no município em apoio à companhia local da Polícia Militar para a realização de barreiras e abordagens a pessoas suspeitas, revelou o comandante do CPI, coronel Rommel.

Manifestação

Servidores públicos, comerciantes e empresários promoveram na manhã dessa segunda-feira (14) um protesto no quilômetro 79 da AM-010, estrada que dá acesso ao município de Rio Preto da Eva, contestando a manutenção do prefeito Luiz Ricardo de Moura Chagas (PRP) no cargo. A liminar favorável ao prefeito foi expedida no dia 20 de setembro pelo desembargador Lafayette Carneiro Vieira Júnior.

A manifestação contou com a participação de aproximadamente mil pessoas. Durante a ocasião, testemunhas afirmam que um helicóptero teria supostamente atirado bombas de gás lacrimogêneo e atingido uma senhora e uma criança, as quais estariam hospitalizadas.

Veja vídeo gravado por manifestantes que mostra clima de tensão durante o protesto. Em outro vídeo é possível acompanhar a ação policial


*Com informações do repórter Lúcio Pinheiro e da assessoria de imprensa da SSP-AM

Mais informações na versão impressa do Jornal A Crítica desta quarta-feira (16)

Publicidade
Publicidade