Publicidade
Cotidiano
Até com heliponto

Após quatro anos de obras, novo HUGV deve ser entregue em novembro até com heliponto

Nova sede, que continuará funcionando no Boulevard Álvaro Maia com rua Tomas de Vila Nova, terá uma área construída de 34.660 m², capacidade para 300 leitos, 13 pavimentos e garagens para 420 veículos 17/09/2016 às 05:00
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Após quatro anos de uma interminável obra que parecia nunca acabar, a primeira etapa do novo Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), essencialmente destinada à assistência médico-hospitalar, será finalmente inaugurada na primeira quinzena de novembro.

A nova sede, que continuará funcionando no Boulevard Álvaro Maia com rua Tomas de Vila Nova, terá uma área construída de 34.660 m², com 13 pavimentos, heliponto e garagens com capacidade para 420 veículos. O local terá uma estrutura física dez vezes maior que a anterior, com clínica cirúrgica e médica, clínica pediátrica, ginecologia e obstetrícia e um parque completo de diagnóstico por imagem com salas de raios-X telecomandado, ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, mamografia e endoscopia digestiva. Feito para 300 leitos, num primeiro momento ele atuará com 156 leitos devido ausência de recursos humanos - o Ministério da Saúde ainda não liberou um concurso público para abranger o HUGV e outros hospitais do País.

O orçamento inicial da obra é de R$ 87 milhões, oriundos do Ministério da Educação (MEC). Ao termino da primeira etapa, o hospital será imediatamente transferido para o novo prédio e as instalações onde atualmente funciona o HUGV deverão ser demolidas e iniciada a construção da segunda etapa, onde deverão ficar os departamentos ligados a educação e administrativo.

O hospital segue como propriedade da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), mas a gestão passou a ser da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), entidade pública vinculada ao Ministério da Educação, criada pela Lei Federal nº 12.550, de 15 de dezembro de 2011. A Ebserh que tem como finalidade a prestação de serviços gratuitos de assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, assim como a prestação às instituições públicas federais de ensino ou instituições congêneres de serviços de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensino-aprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, observada, nos termos do art. 207 da Constituição Federal.

Por ser uma empresa pública, o hospital manterá toda a prestação de serviços à saúde da população 100% no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), e funcionará com recursos 100% públicos. Cumprindo um compromisso assumido pela Ufam e pela gestão do HUGV, o atendimento aos usuários do sistema de saúde não foi paralisado em nenhum momento durante a obra.

“Nesses quatro anos fomos prejudicados pelo contingenciamento de recursos junto ao Governo Federal. Vai ter que ocorrer essa inauguração em novembro porque isso foi um compromisso do ministro da Educação Mendonça Filho e pelo presidente da Ebserh, Cléber Moraes, feito perante a reitoria e superintendência há alguns meses”, disse Rubem Jr., superintendente do hospital.

Arquiteto diz que hospital é 'excelente'

O arquiteto hospitalar Harry Perham, da empresa Planning, esteve no HUGV na última quarta-feira, dia 14, para fazer um levantamento das necessidades finais da obra para avaliar e saber o que precisa ser feito quanto à instalação de equipamentos como um moderno raio-x telecomandado de alta qualidade, onde se faz o posicionamento do paciente por meio de joysticks e se consegue ter uma flexibilidade de exames maior porque o equipamento pode se posicionar em cada exame. Seu custo de aquisição gira em torno de US$ 300.000 a US$ 500.000.

 “A própria máquina se movimenta para o paciente”, disse ele, que ficou maravilhado com as estruturas do novo hospital.

“A impressão que eu tive é excelente. De todos os hospitais que eu visitei agora, essa semana, esse está pronto. Mostrou qualidade de serviços e está pronto para instalação mecânica dependendo de alguns itens que nós listamos e que vão ser providenciados até que a data que a fabricante estipular para o início de montagem mecânica do equipamento”, explica ele.

A empresa que gere o novo HUGV

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Educação, criada pela Lei Federal nº 12.550, de 15 de dezembro de 2011, que tem como finalidade a prestação de serviços gratuitos de assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, assim como a prestação às instituições públicas federais de ensino ou instituições congêneres de serviços de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensino-aprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, observada, nos termos do art. 207 da Constituição Federal, a autonomia universitária.

Por ser uma empresa pública, o hospital manterá toda a prestação de serviços à saúde da população 100% no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), e funcionará com recursos 100% públicos.

As atividades de prestação de serviços de assistência à saúde estão inseridas integral e exclusivamente no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). No desenvolvimento de suas atividades de assistência à saúde, a EBSERH observará as diretrizes e políticas estabelecidas pelo Ministério da Saúde.                        

 A Ebserh tem a finalidade de garantir as condições necessárias para que os hospitais universitários federais prestem assistência de excelência no atendimento às necessidades de saúde da população, de acordo com as orientações do Sistema Único de Saúde (SUS) e ofereçam as condições adequadas para a geração de conhecimento de qualidade e formação dos profissionais dos diversos cursos da universidade a qual pertence.

Atualmente a Ebserh auxilia a universidade na gestão de 39 hospitais universitários em todo o País.

Publicidade
Publicidade