Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
Notícias

Após reajuste salarial, professores encerram greves em Iranduba

Servidores do ensino público fundamental em Iranduba conseguem reajuste de 12% e dão fim a greve que deixou 14 mil sem aula



1.jpg A paralisação dos professores da rede pública municipal de Iranduba durou quatro dias e afetou aproximadamente 14 mil alunos, mas chegou ao fim ontem à tarde
05/04/2013 às 10:02

Alunos do ensino fundamental do município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus) voltam às aulas nesta sexta-feira (05), depois que os professores da rede municipal de ensino e a Prefeitura da cidade chegaram a um acordo, nesta quinta-feira à tarde, para pôr fim à greve da categoria. A paralisação, que aconteceu um mês depois do início do ano letivo, durou quatro dias e atingiu aproximadamente 14 mil estudantes. As aulas suspensas serão repostas.

Conforme o acerto fechado entre os professores e a Prefeitura de Iranduba, os educadores com nível superior passarão a ganhar R$ 1.209,06 pela carga horária de 20 horas semanais. Servidores com o magistério receberão R$ 1.099,71 também por 20 horas de trabalho. “Satisfeitos não estamos. Mas é o que se pode fazer no momento”, disse a delegada do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), Marcília Pizzano.



“Todo ano, na nossa data-base, temos essa briga com a Prefeitura”, reclamou a professora Maria Ivânia, 34. “Em 2008, só conseguimos nosso Plano de Cargos e Salários porque fizemos greve. Faz 12 anos que sou professora do município. Sempre tive meu salário defasado”, disse ela. “A proposta da Prefeitura não representa aumento salarial, apenas adequações com o piso nacional”, afirmou a professora Marcilene Pizano, 41.  De acordo Ministério da Educação (MEC), o piso nacional do professor da educação básica deve ser, em 2013, de R$ 1.567 para 40 horas de trabalho semanal.

Os professores do ensino fundamental do município de Iranduba exigiam reajuste salarial de 20%. A Prefeitura propôs conceder aumento de 8% para educadores com ensino superior e 12,19% para professores com o magistério. A contraproposta do poder público municipal foi discutida e aceita em assembleia geral realizada na tarde de quinta-feira (04), na Câmara Municipal de Iranduba. 

A greve do ensino público fundamental em Iranduba iniciou na última segunda-feira (01). Quase todas as 72 escolas do município foram afetadas pela paralisação.  O presidente do Sindicato dos Educadores do Estado do Amazonas (Sinteam/AM), Marcos Libório de Lima, acredita que a negociação com a Prefeitura de Iranduba teve avanços. “Nós não conseguimos alcançar o percentual apresentado, que era de 20%, mas conseguimos chegar no percentual que garantisse o piso para os professores do magistério e o reajuste para os graduados”, disse ele, sobre a negociação que a categoria teve com o prefeito Xinaik Medeiros.

Segundo Marcos Libório, dentro de 90 dias a categoria volta a discutir com a Prefeitura de Iranduba nova possibilidade de aumento salarial para professores com nível superior. “As negociações ficaram em aberto”, declarou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.