Publicidade
Cotidiano
NÃO CRISA

Após retornar de Portugal, amazonense vê no artesanato uma fonte de renda extra

Formada em administração em comércio exterior e depois de morar por cinco anos em Portugal, Ina Alencar procurou uma maneira de retornar ao mercado de trabalho 03/03/2017 às 16:28
Show 1200411
O carro chefe do trabalho da artesã são as lancheiras térmicas que servem para crianças e adultos (Foto: Winnetou Almeida)
Vanessa Marques Manaus (AM)

Mudar de profissão e encontrar em uma atividade diferente a felicidade em trabalhar. Muita gente já passou por essa experiência e os motivos que levam alguém a seguir um novo caminho são muitos. Com a personagem da Não Crisa dessa semana, essa mudança não foi diferente. Formada em administração em comércio exterior e depois de morar por cinco anos em Portugal, Ina Alencar se viu fora do mercado quando retornou a Manaus. Para ter uma renda, começou a trabalhar com aquilo que lhe dava tranquilidade, o artesanato, o que deu certo.

“Eu sempre soube um pouco de corte e costura, pintura em telas, patchwork, então comecei a produzir algumas peças para ter uma renda”, lembra.

Depois de um tempo, Ina resolveu seguir algumas dicas de clientes e começou a confeccionar bolsas térmicas, também chamadas de lancheiras. “Muita gente perguntava se eu fazia, porque queria comprar para o filho levar para escola ou para levar o próprio almoço para o trabalho”.

Foi quando ela fez um curso e começou a buscar técnicas em vídeos na internet. “Sempre tem alguém ensinando algo novo”, diz. Hoje, Ina chega a vender até 30 peças por mês. Os meses de maior procura são no fim e início do ano, no período de voltas às aulas. “Mas durante o ano todo as lancheiras fazem sucesso por serem resistentes e estilosas”, comentou. Além das bolsas, Ina ainda trabalha com estojos infantis, bolsas e demais produtos feitos com tecidos.

A artesã lembra que a habilidade em corte e costura a ajudou a investir na produção de lancheiras. “Se a pessoa já sabe costura fica muito mais fácil”, conta ela, que usa como principais materiais a manta térmica, plástico blackout para reduzir a incidência do calor e vedar a passagem de luz e tecidos como tricoline estampado ou de cor única. “A estampa do tecido fica a critério do cliente, caso ele for encomendar uma peça mais personalizada, mas eu tenho também peças para pronta entrega”, acrescenta. As bolsas custam R$ 50 a pequena e R$ 60 o tamanho maior.

Participação em feiras

Para divulgar o trabalho e conseguir mais vendas, Ina participa de feiras e bazares pela cidade. Ela tem lugar cativo nas feiras que acontecem sempre na Assembleia Legislativa, na Câmara Municipal e no Fórum Henoch Reis. “Participar das feiras é muito importante e vantajoso para as vendas”, comenta.

Hoje e amanhã Ina Alencar estará participando da feira de artesanato do Ipaam, que acontece das 8h às 14h, na avenida Mario Ypiranga, 3280, Parque 10, ao lado da ALE.

Fora as suas participações em artesanato, a artesã utiliza as redes sociais para divulgar e captar novos clientes, como no Instagram (@ina_alencar) e no facebook: facebook.com/Artesanato-Inarts. Para encomendas e conhecer as peças, é só ligar no telefone 98218-5707.

 

Publicidade
Publicidade