Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

Após surto no País, AM registra apenas um caso de febre amarela em 2017

Último caso da doença ocorreu no Espírito Santo, estado que registrou 82 óbito neste ano. Vacina contra a febre amarela será incluída no calendário de vacinação em 2018 06/09/2017 às 19:46 - Atualizado em 06/09/2017 às 19:46
Show zcid030701 p01
A vacina, que é ofertada nas unidades de saúde, ainda é a melhor forma de prevenção contra o vírus da febre amarela (Foto: Arquivo/AC)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou ontem o fim do surto de febre amarela no País. A confirmação veio em coletiva de imprensa durante a apresentação do novo boletim epidemiológico sobre a situação da doença no território nacional. O último caso da doença confirmado ocorreu no Espírito Santo, que registra 252 casos e 83 óbitos nesta temporada. Neste ano, até 1º de agosto, segundo informações do próprio MS, o Estado do Amazonas havia registrado apenas um caso de febre amarela, todavia sem óbito.

“A situação, hoje, está sob controle, mas é fundamental que os Estados e Municípios se esforcem para aumentar as coberturas vacinais nas áreas com recomendação, seja com a busca ativa de pessoas não vacinadas ou por meio de campanhas específicas, envolvendo também as escolas. Além disso, é necessário manter as ações de prevenção, como o controle de vetor, capacitação de profissionais de saúde e intensificação das ações de vigilância de epizootias (epidemias em animais não humanos)”, afirmou o ministro, por meio da assessoria de comunicação.

Ele ressaltou a importância de manter as ações de prevenção e ampliar a cobertura vacinal para a febre amarela para prevenir novos casos da doença no próximo verão, período com maior probabilidade de ocorrência.

Ranking

O 1º lugar no triste ranking da febre amarela no País é o Estado de Minas Gerais, com 465 casos registrados e 152 mortes.

Em todo o Brasil, desde o início do surto, em 1º de dezembro do ano passado, até 1º de agosto deste ano, foram confirmados 777 casos e 261 óbitos por febre amarela. Outros 2.270 casos foram descartados e 213 permanecem em investigação, informa o MS. Além disso, 304 casos foram considerados inconclusivos, pois não foi possível produzir evidências da infecção por febre amarela ou não se encaixavam na definição de caso. No total, foram 3.564 notificações.

A Região Norte teve 10 casos confirmados, número bem abaixo do Sudeste, que concentrou a  maioria: foram 764 casos confirmados. As regiões Sul e Nordeste não tiveram confirmações.

Para o diretor de vigilância das doenças transmissíveis do Ministério da Saúde, João Paulo Toledo, o fim do surto se dá pelo fim da sazonalidade da doença e pelo sucesso das ações de vigilância. “Além do fim do período de maior número de casos, que é o verão, todo o empenho do Ministério da Saúde, em conjunto com Estados e Municípios, resultaram no controle do surto. Mas isso não significa que devemos encerrar as ações”, explicou o diretor.

Influenza reduz 81%

Em 2017, foi registrada baixa circulação da gripe Influenza no País.  O número de casos teve redução de 81% em relação a 2016, com 2.070 casos e 361 óbitos até 28 de agosto. No mesmo período de 2016, foram 11.062 casos e 2.007 mortes. Neste ano o vírus com maior circulação até o momento é o H3N2, quando no ano anterior predominou o H1N1.

Na campanha de vacinação deste ano, foram imunizadas 51,8 milhões de pessoas, uma cobertura de 87,5% do público-alvo definido pelo Ministério da Saúde. A campanha foi realizada entre os dias 17 de abril e 26 de maio, e prorrogada até 9 de junho. Devido à baixa procura dos públicos prioritários, o MS autorizou Estados e Municípios a ampliar a vacinação à toda a população.

Calendário

Em 2018, a vacina para febre amarela será incluída no calendário de vacinação para crianças a partir dos nove meses. Além disso, o MS estuda a inclusão de outros municípios - que atualmente não fazem parte da área de recomendação -, na vacinação de rotina, para todas as faixas etárias.

Publicidade
Publicidade