Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
MEDO

Após taxista ser achado morto, Iranduba pede mais segurança em manifestação

Centenas de pessoas participaram de protesto na manhã desta sexta-feira (31), que foi até Prefeitura e Câmara Municipal. Taxista foi achado morto em ramal e duas pessoas foram presas pelo crime



seguranca.jpg Moradores realizaram protesto após assassinato (Foto: Divulgação)
31/03/2017 às 12:56

Após o taxista João Lima da Silva, 67, ser encontrado morto em um ramal, centenas de pessoas realizaram uma manifestação na manhã desta sexta-feira (31) no município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus) cobrando mais segurança. O protesto foi pacífico e reuniu principalmente integrantes da categoria. O crime ocorreu na segunda-feira (27) e chocou moradores da cidade.

O protesto iniciou por volta das 8h30 e reuniu taxistas, comerciantes, estudantes e moradores de Iranduba. Segurando faixas e cartazes, eles cobraram na passeata mais policiamento e segurança do Poder Público.

A taxista Patrícia Carvalho foi uma das que participaram da mobilização. Ela conta que conhecia João e a morte dele foi um grande choque para os outros trabalhadores. “Fica aquele sentimento de ameaça e medo. Iranduba não está mais seguro. A Região Metropolitana se tornou uma zona de guerra e os bandidos não respeitam os moradores”, disse ela.

Segundo a taxista, o grupo tinha planos de bloquear a Ponte Rio Negro, porém acabaram realizando a manifestação apenas dentro da cidade. No trajeto, eles foram até a prefeitura e pararam em frente à Câmara Municipal, onde teriam tido um retorno por parte dos vereadores.

“Eles se reuniram na quarta-feira e ficaram de mandar um ofício para o presidente. Se ele não mandar apoio para Iranduba, vamos até Brasília fazer outra manifestação”, declarou.

Morte de taxista

O corpo do taxista João Lima da Silva, de 67 anos, que estava desaparecido desde segunda-feira (27), foi encontrado na terça (28) com 12 facadas e sem um dedo em um ramal no quilômetro 13 da rodovia estadual AM-070, no município de Iranduba, a 27 quilômetros da capital. Dois homens identificados como Andrezo Jackson Souza da Silva, 20, o “Jackson”, e André Souza da Silva, 18, foram presos pela polícia.

Segundo a polícia, o taxista fez uma corrida para três passageiros homens. O taxista trabalhava para a companhia de táxi Iranduba e já foi vereador do município de Iranduba.

De acordo com o delegado de Iranduba, Antônio Chicre Neto, os três passageiros embarcaram no táxi com destino final ao ramal do Treze. Uma câmera de segurança de um posto de combustível filmou o veículo, um Chevrolet Spin de cor amarela e placas NOZ-0441, entrando no ramal por volta das 13h30. Depois, o carro é visto saindo do ramal às 14h30 com os vidros abaixados e sem o taxista.

Ainda segundo o delegado, os irmãos argumentaram que fizeram parada para João na tarde de segunda, por volta das 16h, nas proximidades do quilômetro cinco da Rodovia Manoel Urbano, também conhecida como AM-070. Na ocasião, Andrezo, André e Aladin informaram que pretendiam ir para Iranduba. No decorrer do trajeto eles anunciaram o roubo. A vítima não teria reagido. Mesmo assim desferiram golpes de faca no idoso, que não resistiu aos ferimentos e foi a óbito.

Um quarto elemento, identificado como Aladin Guedes da Silva, 19, está sendo procurado pela polícia por ter participado do latrocínio.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.