Publicidade
Cotidiano
Inadimplência

Especialistas dão dicas de economia para ajudar consumidor a sair do 'vermelho'

4,1% dos amazonenses estão com “nomes sujos” e educadora financeira dá dicas de como quitar as dívidas 25/09/2016 às 13:45
Show 3594 dividas
4,1% dos amazonenses com “nomes sujos” (Foto: Divulgação)
Rebeca Mota Manaus (AM)

Os amazonenses apresentaram 4,1% dos “nomes sujos”. Não é só o desemprego que tem deixado as pessoas em inadimplência, maus hábitos de consumo também têm pesado na conta. 

Aproximadamente 385 pessoas em cinco anos estão endividadas, equivalente a 4,1% em relação ao ano passado. Conforme o presidente da Câmera de Dirigentes de lojista de Manaus, Ralph Assayag,  a média anual é 3,1% a 3,2%, para ele o motivo é crise financeira que as pessoas estão passando, algumas perderam seus empregos. Outras emprestam nomes de outras pessoas para sujar também.

“Quanto mais facilidade de crédito para as pessoas que as lojas oferecem, mais vão vender e consequentemente mais dívidas terão”, Ralph.

A orientação da CDLM é antes de vender fazer consultas e empregar mais as pessoas.

No Brasil, estes números resultam em 46,5% das pessoas que não terão condições de pagar suas dívidas em atraso nos próximos três meses. Desemprego, diminuição da renda e falta de planejamento e controle financeiro são os principais motivos, de acordo com a Pesquisa Nacional do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Entretanto, mesmo em meio a cenário crítico, é possível organizar o orçamento.

E os produtos e serviços que mais transformaram consumidores em devedores foram: roupas (45%), sapatos (25,8%) e eletrodomésticos (17,4%).

Dicas de como quitar as dívidas:

Não aceite qualquer acordo, a pessoa precisa se planejar e não dá conta de pagar. Neste processo tem que ser firme com os credores, caso ele não aceite pede para pagar posteriormente para tentar renegociar. Além de saber o valor da dívida e fazer orçamento com isso negociar dentro deste percentual. 

 1) Saber o valor.

Ter consciência real do valor da dívida. Fazer um cálculo de quando é a dívida, quem deve e qual valor.

2) Não se desesperar.

Não deve sair pagando todas as dívidas. Primeiro precisa saber quais são as prioridades. Separar as  necessidades básicas. Segundo é separar 10% para os sonhos (Carro, viagem, aposentadoria). 

 3) Separar das dívidas.

Tirar 20% do salário para as dívidas.

 4) Anotar tudo.

Anotar durante 30 dias todos os gastos que tiver, separando por tipo de despesa. Isso inclui gastos “pequenos”, que podem até ser considerados menos importantes, como gorjetas e guloseimas, pois no final do período será possível compreender de que forma, efetivamente, o dinheiro está sendo gasto. Isso nada mais é do que fazer um verdadeiro diagnóstico do seu perfil financeiro;

5) Relacione seus sonhos

Relacionar, no mínimo, três sonhos: um de curto (até um ano), um de médio (de um a dez anos) e outro de longo (acima de dez anos) prazo, sendo que um deles deve ser o de sair das dívidas;

  6) Verificar.

Com os números do diagnóstico financeiro em mãos, saber quais gastos poderá diminuir ou até mesmo eliminar para conseguir poupar mensalmente para realizar o sonho de sair das dívidas sem que tenha que fazer outra dívida;

7) Aplicar o dinheiro

Aplicar esse dinheiro em um investimento.

Fonte: Glauce Galúcio  (Educadora Financeira) da DSOP Educação Financeira.

Amazonenses endividados

Monique Leite, microempresária

"O governo atrasa o dinheiro dos meus clientes e assim o meu, por isso atraso nas dívidas".

 Elizangela Pereira, Nutricionista

"Tento renegociar as dívidas, mas os juros são altíssimos, os credores poderiam facilitar".

Maxson Silva, estudante

"Tive que vender meu carro para me livrar de dívidas, pois os juros só aumentam".

Adriana Cristina, Autônoma

"No momento fiquei desempregada e isso foi um obstáculo para eu  pagar o que devo".

Publicidade
Publicidade