Publicidade
Cotidiano
OPORTUNIDADE

Inovação e empreendedorismo é tema de curso da Universidade de Stanford no Brasil

Desenvolvido para ensinar a formular, estimular e comercializar ideias, Programa da Stanford Ignite é ministrado em São Paulo pelo quarto ano consecutivo 18/05/2018 às 14:24 - Atualizado em 18/05/2018 às 14:43
Show 9
Este será o quarto ano ano consecutivo que São Paulo recebe o curso. Foto: Reprodução
acritica.com São Paulo (SP)

Já pensou em estudar em uma das maiores e mais reconhecidas universidades do mundo sem sair do Brasil? A Universidade de Stanford traz ao país pelo quarto ano consecutivo o Stanford Ignite, um programa exclusivo com foco em inovação e empreendedorismo, que estimula a criatividade dos profissionais e o desenvolvimento de ideias valiosas. O curso é uma iniciativa da Escola de Graduação em Negócios de Stanford.

O Ignite já formou mais de 80 pessoas no país desde 2015, quando a Instituição trouxe o projeto pela primeira vez, e aproximadamente dois mil no mundo. Entre os alunos estão profissionais de diversas áreas de empresas como Itaú Unibanco, Microsoft, Ambev e Heineken, além de empreendedores dos segmentos de tecnologia, inovação e business development. O Brasil integra uma seleta lista de locais que fazem parte do programa global, como Estados Unidos, Reino Unido e China.

“Como o Stanford Ignite é um programa de certificação em inovação e empreendedorismo, olhamos para as regiões onde há uma presença empresarial forte. São Paulo tem esse perfil, por isso era natural trazermos para cá esse projeto”, conta o diretor acadêmico do programa na América Latina, Jonathan Levav.

Os interessados em acrescentar o curso à sua formação podem realizar a inscrição pelo site da Universidade até o dia 18 de maio. A seleção para ingressar na turma de 2018 será feita após análise curricular e entrevistas. Os candidatos elegíveis para o Stanford Ignite devem ter diploma de bacharel e alguma experiência no mercado. Também necessitam demonstrar um forte interesse em inovação e empreendedorismo, além de fluência em inglês escrito e falado.

As aulas serão ministradas entre os dias 21 de setembro e 11 de novembro, em São Paulo, por sete finais de semana não consecutivos, nas noites de sexta-feira, aos sábados e domingos. Serão aproximadamente 100 horas/aula voltadas para empreendedores e profissionais em busca de habilidades fundamentais e ferramentas práticas que a Escola de Graduação em Negócios de Stanford pode oferecer, como noções de marketing, contabilidade, finanças, empreendedorismo, operações e estratégia. Outras 150 horas serão destinadas a um projeto de conclusão.

Além disso, insights sobre comunicação, design thinking, feedback, liderança, negociação e trabalho em equipe serão exercidos em sala de aula por meio de   encontros presenciais com professores de Stanford que virão ao Brasil semanalmente, além de interações remotas com um quadro de docentes da Instituição, usando tecnologia de ensino à distância de alta definição. O time de educadores é o mesmo que conduz o programa de MBA na Universidade de Stanford, na Califórnia. O programa atrai participantes de diversas áreas, incluindo engenharia, medicina, design e direito. “Existem ótimos empreendedores no Brasil e nós queremos descobrir e ajudar a desenvolver a próxima ideia de um bilhão de dólares. Por que não pode haver uma empresa global com origem no país? Você tem que pensar grande”, finaliza Levav.

O investimento para realização do curso é de US$ 11 mil, mas há possibilidade de se inscrever para uma das bolsas de 50% oferecidas pela Universidade. Para mais informações acesse:www.stanfordignitesaopaulo.com.

Sobre o Stanford Ignite

Criado em 2006, o programa Stanford Ignite começou dentro do campus da Universidade de Stanford, mais precisamente na Graduate School of Business (Escola de Graduação em Negócios). Inicialmente, o projeto tinha como foco os alunos de engenharia e medicina. Na época, o presidente da Instituição, John Hennessy, percebeu que esses estudantes estavam fazendo pesquisas inovadoras, mas, em muitos casos, não tinham habilidades de negócios para transformar essas inovações em empreendimentos comerciais de sucesso.

Para preencher essa lacuna, Hennessy começou a trabalhar com os professores que lecionavam no programa de MBA da Universidade para montar o projeto Stanford Ignite, com o objetivo deensinar habilidades de negócios essenciais, como marketing, finanças, comunicação etc.

Com a grande aceitação, o Stanford Ignite ganhou o mundo e seus ex-alunos ajudaram a criar mais de 100 empresas. Hoje, além de ser aplicado na sede da Universidade, em Stanford, na Califórnia, ainda acontece em Pequim (China), Londres (Reino Unido) e São Paulo (Brasil).

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade