Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Notícias

Aprovada MP que institui maior transparência na gestão de entidades esportivas

Entre outras finalidades, o projeto institui a gestão transparente dessas entidades e limita o mandato de seus dirigentes. Segundo o PLV, as entidades não poderão eleger um mesmo presidente ou diretor por mais de dois mandatos, com duração de quatro anos cada um



1.jpg O senador Eduardo Braga (PMDB/AM), disse que a medida vai permitir controle e maior transparência das entidades esportivas
17/09/2013 às 19:51

O Projeto de Lei de Conversão (PLV) nº 22/2013, oriundo da Medida Provisória (MP) nº 620/2013, que disciplina a gestão de entidades esportivas que recebem recursos públicos, foi aprovado nesta terça-feira (17), pelo Senado Federal. A matéria vai à sanção da presidenta Dilma Rousseff.

Entre outras finalidades, o projeto institui a gestão transparente dessas entidades e limita o mandato de seus dirigentes. Segundo o PLV, as entidades não poderão eleger um mesmo presidente ou diretor por mais de dois mandatos, com duração de quatro anos cada um.

Ao encaminhar voto favorável da base aliada ao projeto, o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB/AM), disse que a medida, defendida por vários esportistas presentes na sessão, vai permitir controle e maior transparência das entidades esportivas.

“Essa matéria merece a atenção especial de todos os senadores não apenas pelo lobby do bem, mas também pelo lobby daqueles que, além de serem pessoas do bem, defendem uma boa ideia, que é a ideia de transformar nossas confederações, federações, a um controle, a uma transparência, com mandatos definidos, com uma única reeleição”, enfatizou.

Além de permitir uma única reeleição de dirigentes, o texto também torna inelegíveis o cônjuge e os parentes até o segundo grau dos dirigentes que forem sucedidos. Prevê ainda outros requisitos, voltados a uma maior transparência de gestão, como condição para que clubes, comitê olímpico, ligas, federações e confederações esportivas tenham acesso a verbas públicas.

O texto determina, por exemplo, que os resultados financeiros devam ser integralmente destinados para manutenção dos objetivos sociais. Também prevê transparência na gestão financeira, dando visibilidade a contratos com patrocinadores e para direitos de imagem.

Além disso, o PLV exige a representação da categoria de atletas nos órgãos e conselhos técnicos que aprovam os regulamentos das competições e nos colegiados de direção. Nas entidades de prática desportiva, como os clubes, não será obrigatória a representação de atletas nos colegiados de direção, podendo ainda ser mantidas cláusulas de confidencialidade nos contratos comerciais.

A votação foi acompanhada por vários atletas e ex-atletas brasileiros, entre eles o ex-tenista Gustavo Kuerten, a ex-jogadora de basquete Hortência, a ex-jogadora de vôlei Ana Moser e o ex-jogadores de futebol Raí e Mauro Silva.

Minha Casa Melhor

O PLV aprovado nesta terça também garante crédito adicional de R$ 8 bilhões à Caixa Econômica Federal para financiar bens de consumo duráveis para beneficiários do programa Minha Casa, Minha Vida. Os recursos alimentarão o programa Minha Casa Melhor, que fornece crédito de até R$ 5 mil para compra de móveis e eletrodomésticos, com pagamento em até 48 vezes.

Por meio de emenda acatada pela relatora na comissão mista que analisou a MP 620/2013, senadora Ana Rita (PT-ES), foi incluída a possibilidade de aquisição de bens com a chamada tecnologia assistiva, que visa ampliar as habilidades funcionais de pessoas com deficiência, e equipamentos para adaptação de espaços para esse segmento da população.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.