Segunda-feira, 11 de Novembro de 2019
Arrecadação Amazonas

Arrecadação no Amazonas cresce 16,8% em maio

Titular da Secretaria da Fazenda do Amazonas afirma que produção de TVs para a Copa do Mundo deve elevar receita no 2º semestre



1.png Desempenho do ICMS arrecadado no comércio e nos serviços foi decisivo até maio
11/06/2013 às 07:22

A arrecadação estadual fechou o mês de maio com o montante de R$ 660 milhões, receita que representa ganho nominal (sem considerar a inflação) de 16,8% em relação ao mesmo período de 2012. Comparando o resultado ao mês de abril, a receita tributária registrou um aumento de 2,5%. No acumulado do ano, a receita chegou a R$ 3 bilhões, com aumento de 12,1% ante ao mesmo período de 2012.

De acordo com o secretário de Estado da Fazenda, Afonso Lobo, o crescimento ficou dentro do esperado. Um dos fatores que contribuíram para isso foi o bom desempenho do comércio e dos serviços, que de janeiro a maio avançaram 16% e 17,3% na arrecadação, respectivamente. 



Já a indústria teve aumento de 7,3% no acumulado, o que, na avaliação de Lobo, mostra que o setor tem sofrido com os efeitos do desaquecimento da economia brasileira.

“A nossa expectativa é que quando a indústria começar a apresentar recuperação, a receita do Estado irá registrar um crescimento considerável”, comenta o secretário.

Ele acredita que, com o advento da Copa do Mundo, o segmento de áudio e vídeo deve deslanchar a partir do segundo semestre. “Estamos esperançosos também que o polo de duas rodas seja alcançado por esse bom momento, inclusive essa é uma das previsões das empresas que atuam no setor”.

 Em maio, o setor comercial apresentou elevação nominal de 27,4% quando comparado ao mesmo mês do ano anterior. Já o setor industrial revelou elevação de 11,8%. O setor de serviços obteve um pequeno avanço 4,93%.

O principal imposto arrecadado pelo Estado, o ICMS, encerrou em maio com o montante de R$ 610 milhões. A comparação com o mesmo mês de 2012 revela crescimento de 17,8%. Já em relação a abril deste ano, a variação foi de 2,3%. No acumulado, a receita deste item avançou 12,1% em comparação ao mesmo período de 2012.

Fechamento do ano

Segundo o secretário da Fazenda, a meta é fechar o ano com crescimento entre 10% a 15% na arrecadação estadual, o que deve significar uma receita de aproximadamente R$ 8 bilhões. Entretanto, os cofres do Estado podem receber um montante adicional de R$ 300 milhões, caso a indústria apresente bons resultados. Isso sem considerar os fundos, que são uma fonte de receita para o Amazonas. Segundo projeções da Sefaz, os fundos estaduais devem fechar 2013 com R$ 1,2 bilhão.

Lobo revela que essas projeções estão levando em conta a transformação da matriz energética no Amazonas de óleo combustível para gás natural. “Já está havendo uma perda de receita, que será ainda mais acentuada quando o Linhão de Tucuruí começar a funcionar, porque aí teremos diminuído até o ICMS do gás”, salienta.

Lobo informa que entre as alternativas encontradas para que a perda não seja maior estão a revisão geral dos incentivos fiscais do Estado, as operações da nota fiscal eletrônica e o acompanhamento da circulação de mercadorias.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.