Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
Notícias

Artesãos amazonenses serão capacitados para a Copa de 2014

Parceria faz parte do Projeto Expoarte - “Brasil Original”, que busca dar visibilidade ao artesanato brasileiro durante os eventos esportivos da Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas 2016



1.jpg Durante o treinamento, os participantes conhecerão as tendências de consumo
14/02/2013 às 18:39

Uma equipe composta por técnicos do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), designers gráficos e designers de produtos da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica(Fucapi) vai percorrer, até março deste ano, comunidades da capital e de cinco cidades do interior para capacitar artesãos. O objetivo é transmitir conhecimentos, incentivar a melhoria de processos e produtos, identificar talentos e o potencial de peças que possam ser expostas durante os eventos esportivos que acontecerão no Brasil nos próximos anos.

“Os treinamentos programados são resultado da parceria entre o Sebrae/AM e Fucapi  como parte do Programa Expoarte. O projeto visa  fomentar o artesanato do Amazonas  a fim de apresentá-lo nos eventos com um valor  agregado, com uma identidade iconográfica e um design diferenciado por meio da profissionalização dos artesãos e com a cara do Amazonas”, esclarece o diretor superintendente em exercício do Sebrae/AM, Maurício Seffair. 

A meta principal do Sebrae  é estar presente com showrooms nas seis cidades-sedes da Copa da Confederações. “Numa pesquisa do Sebrae Nacional, o artesanato amazonense foi identificado como Oportunidade de Negócios para a Copa 2014 no setor de produção associada ao turismo, e vamos explorar essa demanda”, explica a coordenadora de Artesanato do Sebrae/AM, Lilian Simões. A expectativa é atender pelo menos 100 artesãos.

Critérios para escolha dos municípios

A produção existente e a capacidade de produção foram itens significativos para a escolha dos municípios que estão participando do Expoarte, segundo a gerente da Unidade Atendimento Coletivo Comércio do Sebrae-AM, Cione Guimarães.  Artesãos de Manaus, Novo Airão, Iranduba, Parintins, Tabatinga, Barcelos e São Gabriel da Cachoeira participam do projeto. As capacitações já ocorreram em Manaus e Novo Airão.

O próximo município a receber o treinamento será Parintins. “Em Manaus, já identificamos a necessidade de abrir uma nova turma, específica para uma comunidade indígena. É uma realidade diferente, até mesmo pela questão da linguagem”, avalia a designer gráfica Emmanuele Cordeiro, da equipe do Design Tropical da Fucapi.

Durante o treinamento, os artesãos têm acesso a informações sobre otimização dos processos de produção, layout de produtos, acabamento como diferencial de produtos, controle de qualidade.  Outro aspecto abordado durante o curso é sobre como o design pode ajudar na melhoria do artesanato.  “Um colar em forma de peixe, por exemplo, não precisa necessariamente reproduzir o animal com todos os seus aspectos. Você pode optar por um peixe estilizado, utilizando formas geométricas para dar outra forma ao seu peixe”, explicou a designer de produtos Hinayana Pinto.

Artesãos terão assessoria na produção das peças

Durante o treinamento, os participantes conhecerão as tendências de consumo, cada vez mais dinâmicas, a importância e, ainda, a necessidade de adequar os processos de produção à proteção ao meio ambiente. A apostila entregue aos alunos foi elaborada pela equipe do Design Tropical da Fucapi.

“A gente deve voltar aqui mais umas duas vezes, para acompanhar a produção dos itens nos quais eles estão trabalhando e sugerir ajustes no processo de produção”, explicou Cordeiro. “O desafio é incentivar a criatividade respeitando a realidade dos artesãos, sempre recomendando a utilização de produtos naturais e regionais”, completou Hinayana.

O suíço Jean-Daniel, de 57 anos, conheceu a região em 1992 e mudou-se definitivamente em 1997 para tocar à frente o projeto da fundação, idealizado pelo amazonense Miguel Rocha da Silva. Formado em design de movelaria, ele considera que as dificuldades de logística, de obtenção de matéria prima, de conhecimento de mercado e de técnicas de melhoria de qualidade dos produtos são os principais problemas da atividade, que na região funciona mais como um complemento de renda para as famílias. “Por isso, quando soubemos da parceria Sebrae-FUCAPI, oferecemos o espaço da fundação para o treinamento”, explicou.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.